Governador tampão ignora inconstitucionalidade e promove 28 oficiais na PM

Blog do Garrone

O governador em exercício, deputado Arnaldo Melo, promoveu nesta segunda-feira, antepenúltimo dia do seu mandato fugaz, os 28 “novos” oficiais da Polícia Militar do Maranhão, contra a nomeação de 74 novos, esses sim, novos soldados aprovados em concurso, dentre os milhares de excedentes que esperam ser chamados desde 2012.

Arnaldo Melo e João Alberto: promoções de oficiais em detrimento das nomeações de 74 novos soldados militares.Arnaldo Melo e João Alberto: promoções de oficiais em detrimento das nomeações de 74 novos soldados militares.

Além de não aumentar o efetivo, as promoções só foram possíveis  através de Medida Provisória, que extinguiu 74 dos 6.058 cargos de soldado em aberto, permitindo pagar os salários dos 28 novos oficiais sem comprometer a previsão orçamentária do governo.

O que demonstra que havia a possibilidade do governo colocar 74 novos soldados nas ruas como exige a população vítima da violência, que atinge também a própria Corporação. Em 2014, 15 Policiais Militares foram assassinados no Maranhão.

Mas Arnaldo Melo preferiu reforçar o poder do senador João Alberto (PMDB), que atua politicamente nos quartéis, onde fez muitos “amigos”  desde a malfadada  Operação Tigre, com a promoção de oficiais em lugar de nomeações de soldados.

O reforço do oficialato nos últimos dias do governo obedece a uma lógica política cruel e joga os oficiais da PM contra o futuro governador Flávio Dino, caso pretenda mobilizar sua bancada na Assembleia Legislativa para derrubar a MP  e as promoções em fevereiro próximo.

Flávio Dino já se manifestou contrário à MP, que considera inconstitucional por não atender o princípio da urgência.

– Quero encontrar alguém que explique a urgência e a conveniência de tirar 74 cargos de soldado da PM, em meio a essa onda de violência – escreveu o futuro governador no twitter.

Em nota, o comando geral da PM tenta explicar que não houve extinção de vagas, mas de cargos em aberto; e que a urgência se faz necessária diante da criação do Comando das novas Unidades de Segurança e de Batalhões no interior e na capital São Luís.

Uma urgência que só foi percebida a poucos dias de terminar o governo, que concedeu as promoções  somente para criar embaraços para a futura administração, sem levar em conta os sentimentos e as expectivas dos militares em constituir por merecimento suas carreiras.

A solenidade de promoção ocorreu no gabinete do governo provisório, com direito a foto oficial de Arnaldo Melo, João Alberto e os oficiais engabelados pela tramóia do submundo sarneysista.

Comentários estão desativados

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: