Notícia

Roberto Rocha confessa traição

Em entrevista que circula em grupos de WhatsApp, o senador Roberto Rocha explicou seus motivos para ter traído Flávio Dino e o seu antigo grupo político. O autointitulado Asa de Avião confessou que entra na disputa em 2018 por não ter ameaçado seu cargo no Senado Federal, já que, mesmo com uma derrota, terá ainda metade do mandato.

“Imagina um senador, que está no meio do mandato, se ganhar ou não a eleição ainda tem metade do mandato”, disparou Roberto Rocha, em um claro sentimento de que em momento algum pensou no grupo que o ajudou a se eleger.

Para amenizar a fala, ele ainda afirmou que seria natural Flávio Dino ser eleito em 2018 com a sua ajuda e em 2022 os papeis se invertessem, com ele candidato ao governo e o governador indo para o Senado.

“A política não promete vida eterna como no casamento. A política você faz coligação para uma eleição. É normal que as pessoas tenham projeto”, disse RR durante a entrevista.

A postura do senador Roberto Rocha só ratifica que ele não é político de grupo, e sim de conveniência. Devendo a eleição para Flávio Dino, Asa de Avião jamais poderia ter traído o grupo da forma que o fez, precocemente e sem qualquer explicação lógica que não fosse a sua megalomania pelo poder.

E tudo isso ficou bem claro nas palavras desferidas na entrevista.

Comentários estão desativados

Os comentários estão desativados.