língua não é osso

Não é difícil ser Sarney no governo Dino

O governo de Flávio Dino quer usar o canal 10.2, pertencente ao Sistema Mirante de Comunicação, para transmitir aulas virtuais destinadas a estudantes do ensino médio durante a pandemia.

A iniciativa faz lembrar o tão criticado “tele-ensino” do governo Roseana Sarney, da época que Flávio Dino dizia ser opositor da oligarquia.

Nos bastidores, comenta-se que o conglomerado de comunicação de Roseana, Fernando e Zequinha Sarney faturou mais de R$ 20 milhões oriundos dos cofres públicos estaduais só no ano passado.

Este valor deve ser ampliado neste ano com o aluguel do canal sarneyzista para a transmissão do “tele-ensino de Flávio Dino”.

Comentários estão desativados

2 respostas para “Não é difícil ser Sarney no governo Dino”

  1. cesar disse:

    melhor fosse no canal 4.2 né ?
    problema é a tv mirante tem audiência isso é fato?

  2. José Antônio Nunes Oliveira disse:

    Achei muito interessante a notícia do governador Flavio Dino usar o canal de televisão da família Sarney para exibir aulas para os alunos da rede pública de ensino, em primeiro lugar pelo fato de que para fazer isso ele deverá proceder uma licitação entre todos os canais comerciais de televisão disponíveis no estado do Maranhão, em segundo lugar, pelo fato de que desde 2015, quando assumiu o governo, ele foi comunicado de existência de um canal de televisão educativa em São Luís propício para colocar no ar, 24 horas diárias, não apenas tele aulas, mas toda uma programação destinada melhorar e apoiar o ensino presencial da rede pública de ensino do nível médio do Estado do Maranhão, bem como ajudar as prefeituras de nosso estado na distribuição de aulas do nível básico e fundamental, além de ministrar via televisão cursos de reciclagem e aperfeiçoamento dos funcionários das mais diversas áreas da administração estadual.
    De qualquer forma essa é uma ação que deve ser incentivada, não apenas neste momento difícil de pandemia pelo qual todos estamos passando, mas que deve perdurar como ação complementar as aulas presenciais, mesmo depois que tivermos superado essa horrível crise