Eleições 2022

Disputa por 2022 esquenta bastidores da política maranhense

A disputa pela sucessão de Flávio Dino (PCdoB) em 2022 tem agitado os bastidores da política maranhense nos últimos dias. Enquanto o senador Weverton (PDT) articula alianças consolidadas via diretórios nacionais dos partidos, o vice-governador Carlos Brandão (PSDB) tenta usar a imagem do titular do governo do Estado para demonstrar força.

A polarização entre Weverton e Brandão deve marcar todo o ano de 2021, sobretudo pela decisão de Dino de escolher seu candidato apenas no final do ano. E ambos estão procurando mexer o tabuleiro da política maranhense para se viabilizar e ter o apoio do governador do Maranhão.

Apostando no municipalismo e na aliança partidária, Weverton articula, via Brasília, apoios importantes para o seu projeto. Afinal, manter unida a base que venceu as eleições de 2018 parece ser um bom caminho.

Já Brandão aposta todas as suas fichas em demonstrar força junto a Flávio Dino, mesmo o governador já tendo falado, reiteradas vezes, que sua decisão será tomada apenas no final do ano e dependerá de uma conjunção de fatores, entre eles as alianças partidárias.

De todos os que já se colocaram como pré-candidatos, Weverton e Brandão são os únicos que, de fato, se mexem para uma viabilização. Cada um à sua maneira.

O pedetista parece em vantagem por entender mais o jogo democrático pregado por Dino. Afinal, foi dessa maneira que ele conseguiu se viabilizar candidato a senador na chapa do governador em 2018.

Brandão age para ser ungido como o candidato de Dino, mostra fidelidade ao governador, mas esquece que, em um amplo campo partidário, é importante que haja diálogo também com as outras peças do jogo.

Quem estará fazendo os movimentos certos só o tempo dirá. Mas, para quem analisa o jogo com olhar de player, Weverton tem levado ligeira vantagem no tabuleiro da política maranhense.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *