pesquisa

DataIlha mostra Dino como hiato na política maranhense

A julgar pelos números da DataIlha publicados a conta-gotas neste domingo (27), o governador Flávio Dino (ex-PCdoB) corre sério risco se tornar um hiato político, um “respiro” para o retorno da oligarquia Sarney ao poder.

O instituto fundado pelo comunista Marcos Grande, atualmente presidente da EMSERH, mostra que a união entre Roseana Sarney (MDB), Roberto Rocha (sem partido), Josimar de Maranhãozinho (PL) e Lahesio Bonfim (PSL) seria suficiente para decretar o fim do “dinismo” no Maranhão.

No levantamento, Carlos Brandão (PSDB) é colocado “por mão de gente” acima dos 10%, mas empatado tecnicamente com Asa de Avião e Weverton Rocha (PDT).

Roseana aparece na liderança, com 22,8%, e Lahésio com metade das citações do vice.

Para a sorte de Dino o dos maranhense, o DataIlha desaprendeu a fazer contas depois que adentrou o Palácio dos Leões.

Se dependesse do instituto, por exemplo, o comunista Rubens Pereira Junior seria o atual prefeito de São Luís.

Comentários estão desativados

Os comentários estão desativados.