INCOERÊNCIA

Recordar é viver: Brandão acusou Lula e Dilma de estelionato eleitoral

Carlos Brandão, que agora corre atrás do apoio do PT para tentar se viabilizar como candidato a sucessão do governador Flávio Dino, acusou, em 2014, os ex-presidentes Lula e Dilma de “estelionato eleitoral”.

Na época, Dilma terminava um conturbado primeiro mandato; e Lula se tornaria o principal alvo da recém-criada Operação Lava Jato. Então deputado federal pelo PSDB, Brandão já galgava a vice da chapa liderada por Dino, que buscava o apoio do PT para concorrer o Palácio dos Leões. Mas nem isso foi suficiente para que o tucano poupasse as lideranças petistas de críticas.

Diz o site do PSDB em 13 de julho daquele ano:

“Publicado em junho, balanço do PAC 2 estabeleceu nova data de conclusão para a refinaria Premium I, no Maranhão, como destaca o site da revista Veja. Inicialmente prevista para ser entregue em 2015, a obra só deve ficar pronta em 31 de janeiro de 2029, ou seja, um adiamento de 14 anos. Para o deputado Carlos Brandão (MA), o longo atraso mostra que a refinaria virou um caso de estelionato eleitoral.

‘Além disso, ainda existem denúncias de superfaturamento e desvio de verba’, reprovou o tucano. Em 2010, Lula e Dilma foram ao estado para o lançamento da pedra fundamental da refinaria sob a promessa de que em 2015 a obra estaria concluída e geraria 200 mil empregos. Aliados locais participaram do evento”.

Oito anos depois, é Brandão quem busca apoio dos “estelionatários” petistas.

E mais: na posição de porta-voz fracassado de meia dúzia de projetos que mais fazem lembrar a Refinaria de Bacabeira, o projeto Salangô e o Polo de Confecções de Rosário.

O Marrapá voltará a abordar o assunto.

Comentários estão desativados

Os comentários estão desativados.