SEM SANEAMENTO

Dino vai entregar Maranhão sem saneamento básico

Perto de deixar o mandato de governador do Maranhão, Flávio Dino vai deixar para o povo um legado não muito agradável. Além do aumento da fome, o Estado não tem também as condições básicas de saneamento, apenas 11% da população dispõe de tratamento de esgoto e menos da metade das pessoas têm água potável.

Um estudo realizado pelo Instituto Trata Brasil, em que foram consultadas mais de 20 entidades durante três meses, entre elas a Agência Nacional de Águas, confirmou que o Maranhão tem o pior saneamento básico do país.

Ainda, segundo o Instituto, o Estado poderia economizar 2,8 bilhões de reais em saúde pública se levasse água tratada e esgoto a todos os maranhenses.

Mesmo assim os consumidores pagam, além do consumo de água, a taxa de esgoto, ICMS e demais impostos cobrados nas faturas que só aumentam a arrecadação do Governo do Estado. Ou seja, os recursos existem, o que falta mesmo é responsabilidade para que eles sejam aplicados da forma correta.

Assim, o comuno-socialista caminha para finalizar uma gestão fraca, que só aumentou impostos, endividou o estado com empréstimos e deixou a população sem saneamento.

Comentários estão desativados

Os comentários estão desativados.