sucessão

Econométrica confirma que Weverton é a melhor chance de Flávio Dino

A pesquisa Econométrica divulgada na terça-feira (09) pelo Sistema Difusora de Comunicação mostra que o senador Weverton Rocha, do PDT, é quem reúne as melhores condições de dar continuidade ao legado de Flávio Dino (PSB) à frente do Palácio dos Leões.

Quando considerada a pré-candidatura da ex-governadora Roseana Sarney (MDB), Weverton aparece tecnicamente empatado na liderança da disputa pelo Governo do Maranhão. Nos cenários em que a filha do “ex-oligarca” José Sarney (MDB) não aparece, o senador pedetista assume a liderança de vez, com duas vezes mais intenções de votos do que o vice-governador Carlos Brandão (PSDB).

Brandão, aliás, “passa sufoco” para superar os demais opositores do governador, aparecendo quase empatado com os ex-aliados Roberto Rocha (sem partido) e Edivaldo Holanda Junior (PSD). Até o sibilino Lahésio Bonfim, prefeito da minúscula São Pedro dos Crentes e inimigo figadal de Dino, figura tecnicamente empatado com o vice de Colinas.

Apesar da pirotecnia e do lobby do governador em seu favor, Felipe Camarão (PT) decepciona, sendo superado por Josimar de Maranhãozinho (PL) e superando apenas o lanterna Simplício Araújo (Solidariedade). Se somadas, as intenções de votos de Camarão e Simplício sequer superam os índices de Maranhãozinho, que rompeu recentemente com o grupo governista. Aliás, mais se aproximam da margem de erro da pesquisa.

Recentemente, Dino reafirmou os critérios estabelecidos em julho para escolha do sucessor: identificação ideológica com os programas da atual gestão, capacidade de agregação política e potencial eleitoral. O chefe do Executivo estadual também confirmou para este mês a decisão sobre o nome a ser apoiado por toda a sua base aliada.

Além de atender o critério “quantitativo”, o pré-candidato pedetista é apoiado por maior parte do colegiado de partidos governistas e o único capaz de reunir os programas de Lula e Dino no mesmo palanque.

A julgar por estes fatores, não há motivos para postergar a escolha, como querem Brandão, Simplício e Felipe Camarão.

Comentários estão desativados

Os comentários estão desativados.