Caneta vazia

“Tinta na caneta” de Brandão tem validade de 90 dias

O doutor Carlos de Orleans Brandão Júnior já foi governador interino algumas vezes em 7 anos. A última vez foi na eleição da Famem em que inventou de última hora a candidatura do prefeito Fábio Gentil, que saiu de uma cama de hospital em São Paulo pra disputar votos na última semana.

Brandão chamou prefeitos, prometeu convênios, cargos. Muitos não caíram na conversa pois Brandão não tinha “tinta na caneta”. O governador Flávio Dino voltaria na semana seguinte.

Os aliados de Brandão tem repetido para todo mundo que agora em abril ele vai sentar na cadeira e ter “tinta na caneta” de verdade.

Só que a “tinta” tem validade de 90 dias. É o tempo em que ele estará sentado na cadeira principal do Palácio dos Leões podendo assinar convênios e ordenar despesas.

Depois disso, a tinta da caneta de governador acaba. Pois entra o prazo eleitoral em que fica proibido convênios, pagamentos e, principalmente, publicidade oficial.

Comentários estão desativados

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: