Crise no ferryboat

Funcionários do ferryboat ameaçam paralisar as atividades

Funcionários da Internacional Marítima, única empresa que opera o serviço de ferryboat no estado, ameaçam paralisar as atividades a partir desta terça-feira, 23, por falta de condições de trabalho.

Caso a paralisação aconteça, o sistema de transporte via ferry, que enfrenta problemas há anos, e que se intensificaram na gestão do governador-tampão Carlos Brandão (PSB), pode colapsar de vez, trazendo prejuízos irremediáveis aos moradores de São Luís e da baixada maranhense. 

Em entrevista à TV Difusora na semana passada, o diretor do Sindicato do Trabalhadores Marítimos do Maranhão, João Raimundo dos Santos, afirmou que três ferryboats estão operando na travessia entre o Terminal da Ponta da Espera e o Cujupe, deixando os funcionários sobrecarregados, pois as viagens deveriam ser realizadas por seis embarcações. 

Os problemas no sistema de transporte via ferryboat são antigos e se intensificaram nos últimos meses. O recauchutado ferry José Humberto, anunciado por Brandão como a solução para todos os problemas, passa mais tempo sendo reparado do que efetivamente transportando passageiros. Relatos de defeitos na embarcação de mais de 30 anos de uso são diários. 

Soma-se a essa situação o fato do governador-tampão ter prometido um novo ferry até o dia 5 deste mês. No entanto, agosto já está chegando ao seu fim e até agora nem sinal da nova embarcação. 

Comentários estão desativados

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: