Debate na MIrante

Debate na Mirante não muda o cenário; Brandão e Weverton devem disputar 2º turno

O último debate antes do primeiro turno das eleições, realizado pela TV Mirante nessa terça-feira, 27, não contribuiu para mudar o cenário apresentado pelos institutos sérios de pesquisa. No final, Carlos Brandão (PSB) e Weverton Rocha (PDT) devem disputar o segundo turno.

O debate foi novamente marcado por troca de acusações e candidatos mandando o telespectador buscar no Google a ficha criminal dos seus concorrentes. Após duas horas de discussões, Weverton Rocha (PDT) foi único a apresentar propostas claras e factíveis, principalmente no que diz respeito à geração de emprego e renda.

Seis candidatos ao governo se encontraram durante o debate

O candidato pedetista deixou claro que o Maranhão vendido por Carlos Brandão existe apenas nas propagandas e que a realidade é bem diferente. Weverton mostrou domínio sobre os temas e apresentou soluções para os principais problemas enfrentados pelos maranhenses, como a fome e o desemprego.

O candidato palaciano Carlos Brandão se perdeu logo no início do primeiro bloco e não conseguiu se encontrar durante todo o debate. Mais uma vez apresentou lapsos de memória que o impediram de concluir raciocínios simples. O uso da máquina pública estadual durante toda a campanha é o que garantirá a sua presença no segundo turno.

Lahesio Bonfim (PSC) voltou a fazer caras e bocas, além de falas e sorrisos debochados. Não apresentou nenhuma proposta concreta e não explicou o processo que responde por desviar R$ 44 milhões da Prefeitura de São Pedro dos Crentes quando era gestor do município.

Edivaldo Holanda Júnior (PSD) estava com sangue nos olhos. Protagonizou enfrentamentos desleais com Weverton e, principalmente, contra Lahesio no que diz respeito ao combate da corrupção no âmbito municipal.

Contra Brandão, Edivaldo já apresentou uma postura um pouco mais amena, não parecendo o mesmo candidato que, dias atrás, chamou o governador de incompetente.

Enilton Rodrigues (PSOL) cumpriu perfeitamente o papel de laranja. Não fez sequer uma crítica ao governo do estado e fugiu da pergunta de Lahesio quando o ex-prefeito de São Pedro dos Crentes o questionou sobre como evitaria a corrupção em seu governo, como o escândalo do pagamento de propina na Secretaria de Educação (Seduc), que teve participação direta do sobrinho do governador, Daniel Itapary Brandão, resultando inclusive em um assassinato.

Simplício Araújo manteve o seu foco na geração de emprego e renda, sua principal bandeira de campanha. O ex-secretário de Indústria e Comércio fez severas críticas ao governo Brandão e mostrou-se preparado para assumir o comando do Executivo estadual.

Comentários estão desativados

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: