Derrotado

Marqueteiros classificam como desastroso o desempenho de Brandão no debate

Maqueteiros e analistas políticos classificaram como um desastre a participação do governador-tampão Carlos Brandão (PSB) no debate dessa quinta-feira, 1.º, promovido pelo portal Imirante. Sem conseguir ao menos articular as ideias, Brandão pode ficar com candidatura encalhada da mesma forma como o ferry velho José Humberto. 

Alvo dos outros cinco candidatos presentes, o sucessor de Flávio Dino foi massacrado em todos os confrontos diretos. Em seu primeiro debate, mesmo em casa, Brandão se sentiu desconfortável, se atrapalhou com o tempo e não conseguiu passar credibilidade em seus discursos. 

Ao longo das mais de duas horas de debate, Brandão, visivelmente nervoso e pouco à vontade, foi incapaz de listar e falar com desenvoltura sobre programas de governo, mesmo integrando por quase oito anos a cúpula do Palácio dos Leões.

Brandão foi para o debate sem se preparar minimamente para o confronto. Achava ter o conhecimento das ações. No entanto, enfrentou candidatos que realmente se preparam para o desafio, como Weverton Rocha (PDT), Simplício Araújo (Solidariedade) e até mesmo o desconhecido Joás Moraes (DC), e saiu derrotado. 

Em alguns temas, Brandão foi simplesmente emparedado. Como no caso do orçamento secreto do governo do estado, enviado à prefeituras aliadas após o período vedado em uma clara tentativa de cooptação.

Ao falar sobre a infraestrutura e malha viária, o governador-tampão convidou os concorrentes a cometer crime eleitoral ao seu lado, afinal, ele deveria saber que é proibido, neste período de vedação, vistoriar e inaugurar obra, muito menos convidar adversários para fazer o mesmo. Ainda assim, Brandão fez. 

Mas na avaliação daqueles com cargos no governo, foi Brandão quem venceu o debate.

Comentários estão desativados

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: