PRERROGATIVAS

Escolha de Dino para PRF deflagra crise entre advogados lulistas

A escolha de Edmar Moreira Camata para comandar a Polícia Rodoviária Federal (PRF) não foi bem aceita entre dirigentes do PT e membros do grupo de advogados Prerrogativas, que agrupa defensores de Lula que exercem a advocacia e são críticos da Operação Lava Jato.

Camata é um entusiasta da famosa operação policial e comemorou as prisões realizadas pela Lava Jato – inclusive a de Lula. Nas eleições de 2018, Camata foi candidato a deputado federal pelo PSB do Espírito Santo utilizando o mote “para a Lava Jato não acabar”.

Assim que foi anunciado pelo futuro ministro da Justiça, o grupo de WhatsApp do Prerrogativas entrou em combustão:

“Essa indicação do novo diretor geral da PRF é um desastre. O cara é admirador do Moro e do Dallagnol”, escreveu um. “Um absurdo total. Está deflagrada a primeira crise”, concordou outro.

Contudo, integrantes do Prerrogativas também farão parte do governo Lula, inclusive no Ministério da Justiça. Camata terá de conviver com alguns ferozes adversários da Lava Jato, como o futuro secretário Nacional de Justiça, Augusto de Arruda Botelho, que advogou para a Odebrecht.

Por isso, uma ala do grupo de advogados tenta conter os ânimos, para evitar que a insatisfação se torne pública.

Comentários estão desativados

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: