Perseguição

Após denunciar caos no serviço de ferry, Lítia Cavalcanti é esvaziada no Ministério Público

A promotora Lítia Cavalcanti anunciou, nesta quinta-feira (04), que foi exonerada da coordenadoria do Centro de Apoio Operacional do Consumidor (Caop) do Ministério Público Estadual do Maranhão.

Em postagem nas redes sociais, a promotora especializada em Direito do Consumidor afirma que teve o gabinete no MP esvaziado, com quase todos os servidores exonerados.

– Somente nas últimas 48 horas, fui exonerada do Caop Consumidor junto com os funcionários que compunham a equipe e tive minha promotoria, da qual sou titular há mais de dez anos, com dedicação exclusiva em favor dos consumidores do Maranhão, completamente esvaziada, restando apenas um servidor – afirmou.

O MP é comandado pelo procurador Eduardo Nicolau, que não esconde as preferências políticas e pessoais em favor do governador tampão do Maranhão, Carlos Brandão.

Lítia passou a ser perseguida pelo Palácio dos Leões e amordaçada internamente desde que denunciou irregularidades na operação do ferry José Humberto, anunciado como “novo” e de “alto padrão” pelo governador tampão do Maranhão. A atuação em meio ao colapso no serviço de travessia entre São Luís e a Baixada Maranhense despertou a fúria de Nicolau, Flávio Dino e Brandão.

– Como é possível isso está acontecendo com um membro do Ministério Público com quase três décadas de atuação e após a promulgação da Constituição Federal? – questionou a promotora.

Deixe um comentário