Notícia

Dino propõe a Bolsonaro acréscimo no bolsa-família para compra do gás de cozinha

A Petrobras informou na última quinta-feira, 26, que o GLP (Gás Liquefeito de Petróleo), o gás de cozinha, sofreu um aumento de 5% no repasse às distribuidoras a partir de ontem.

A mudança vale para todos os tipos de GLP: residencial, comercial e industrial, vendido em botijões de 13 a 90 quilos.

Preocupado com a situação dos mais pobres, que estão tendo que voltar a usar forno à lenha devido aos sucessivos aumentos do gás de cozinha ocorridos durante o primeiro ano da gestão de Bolsonaro, o governador Flávio Dino propôs uma solução.

“Já passou da hora de alguma política pública para esse tema, tão essencial para as famílias. Ou muda a atuação da Petrobras, ou cria-se um acréscimo no bolsa-família para a compra do gás de cozinha”, afirmou o governador.

Preocupado com essa situação, Dino autorizou a redução do ICMS do gás em 22% no Maranhão.

Comentários estão desativados

3 respostas para “Dino propõe a Bolsonaro acréscimo no bolsa-família para compra do gás de cozinha”

  1. Martha disse:

    Se Immanuel KANT fosse petista (ou filiado ao PT ou amante do PT) ele seria um imbecil, e por isso não seria Kant; Kant deixaria de existir. Não teria se formado um KANT!

  2. J disse:

    Se o governador do Maranhão não aumentasse a alíquota do ICMS seguidas vezes em poucos anos, cada família poderia cobrar o seu botijão de gás, sem aumentar o bolsa família e penalizar ainda mais a classe média com o aumento de impostos, lembrando que o presidente foi o primeiro a pagar 13° do bolsa família.

    • l junior disse:

      O governo Flavio ,e de todos nois não esqueça vc tem como compra e quem não tem, não seja egoísta vaja o lado da população.