Racismo

Sargento que matou vizinho no RJ foi ex-candidato a vice em Paço do Lumiar

O sargento da Marinha Aurélio Alves Bezerra, de 41 anos de idade, que matou a tiros o vizinho Durval Teófilo Filho, de 38 anos, no Rio de Janeiro, foi candidato a vice-prefeito em Paço do Lumiar na chapa de Karla Maria (PSC) nas últimas eleições municipais de 2020. 

O crime aconteceu na quarta-feira (2), em São Gonçalo, Região Metropolitana do Rio de Janeiro. Aurélio Alves atirou contra Durval Teófilo na entrada do condomínio onde os dois moravam. Em sua defesa, o militar afirmou que confundiu a vítima com um ladrão e, por essa razão, efetuou os disparos. Ele foi preso em flagrante. 

Em entrevista ao portal g1, a esposa de Durval, Luziane Teófilo, afirmou ter escutado os tiros e disse que o marido foi morto por ser preto. “Vendo as câmeras, ouvindo a fala do delegado e pelo que os vizinhos estão falando, tenho certeza de que isso aconteceu porque ele é preto. Mesmo eles falando que ele era morador do condomínio, o vizinho não quis saber. Para mim, foi racismo sim”, pontuou. 

Inicialmente, Aurélio Alves foi indiciado por homicídio culposo, quando não há intenção de matar. No entanto, o Ministério Público entendeu que o crime deveria ter sido tipificado como homicídio doloso, quando há a intenção de matar. 

Por isso, a Justiça decidiu converter em preventiva a prisão do sargento da Marinha. A decisão foi na audiência de custódia nesta sexta-feira (4), quando a juíza Ariadne Villela Lopes, da 5ª Vara Criminal, acolheu o pedido do MP.

Comentários estão desativados

Os comentários estão desativados.