esse é o novo maranhão

O ocaso político de Dino e a ascensão de Marcos Brandão no MDB

A semana começou com a indicação de Flávio Dino ao STF que, oficializada, representa o início do exílio dinista no judiciário, abdicando por completo da política partidária. Ao término da mesma semana, o Maranhão testemunha o nascimento de um novo líder. Marcos Brandão assumiu oficialmente o comando do MDB, partido que ressurgiu das cinzas pelas mãos do ex-governador e de Carlos Brandão, nesta sexta-feira (1).

O projeto do irmão do atual governador é hegemônico. Com a filiação de prefeitos e candidatos às eleições do próximo ano, o MDB pretende retomar o protagonismo de outrora, contando novamente com as bênçãos do Palácio dos Leões.

Em seu discurso, Marcos Brandão foi categórico: “Se nós não fizermos o primeiro lugar no número de prefeitos e vereadores, mas nós vamos estar bem próximos”.

Na entrada do evento, um imenso banner dizia: “Bem-vindos ao futuro”. No palanque, emedebistas históricos como Roseana Sarney e João Alberto fizeram lembrar que o futuro, quase sempre, repete o passado.

Comentários estão desativados

Uma resposta para “O ocaso político de Dino e a ascensão de Marcos Brandão no MDB”

  1. Martha Aulete Hirsch disse:

    Atualmente, em 2023, o Brasil é exatamente semelhante ao Ministério da Segurança Pública do Stalinasso de Brasília: ou mula, nome oficial. Não atua, ainda que exista. Esquisito, não? Mula o barangão. O Partido dos Trabalhadores é vigarista. Não dá a dura em bandidos. Por isso tudo assim. O Partido dos Trabalhadores é kitsch. E assim vai o Brasil… O mula é vigarista, ladro e venera a mentira e nivela tudo pelo parâmetro do barango. Sobretudo na instrução e na cultura. O PT é cafona.