covid-19

Enigma do Maranhão: Estado mais pobre do Brasil tem a menor mortalidade por Covid

Revista Piauí

Pouco ou nenhum acesso a água corrente, casas de um cômodo para mais de cinco moradores e trabalho informal são as condições de vida mais propícias para contágio pelo novo coronavírus. Favelas e bairros pobres apresentam, por isso, as piores taxas de Covid-19 no Brasil e fora. Mas há uma exceção: o Maranhão, estado com maior proporção de habitantes na extrema pobreza, e onde se localizam algumas das cidades brasileiras mais pobres. Na pandemia, o estado registra a menor taxa de óbitos por 100 mil habitantes entre as 27 unidades da federação – e nem as autoridades de saúde locais têm uma explicação definitiva para esse cenário.

Segundo o painel do site Monitora Covid-19, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), nesta sexta-feira, 16, o Maranhão tem 95 mortes por 100 mil habitantes – é o único estado com o índice abaixo de 100. Depois vem a Bahia, com 114. O pior lugar da pandemia no Brasil é o Amazonas, onde morrem 293 pessoas a cada 100 mil habitantes. A média nacional está em 171.

Marajá do Sena, no Oeste maranhense, já recebeu o título de município mais pobre do país. Reportagem do Projeto Colabora de 2018 constatou que, na ocasião, 78% da população da cidade viviam na pobreza, ou seja, com menos de 5,50 dólares por dia, segundo critérios do Banco Mundial. Apenas 2% tinham emprego formal, e 86% das casas não tinham banheiro nem água encanada. Em toda a pandemia, o município registrou até agora cinco óbitos, o que lhe confere uma taxa de 64 óbitos por 100 mil habitantes – segundo projeção do IBGE para 2020, moram lá 7.775 pessoas.

Continue a ler…

Comentários estão desativados

3 respostas para “Enigma do Maranhão: Estado mais pobre do Brasil tem a menor mortalidade por Covid”

  1. Neto disse:

    É pq as pessoas daqui banham pouco. A sujeira no corpo cria uma barreira contra o vírus. Existem estudos que mostram que os mendigos tem baixíssima taxa de transmissão.

  2. francisco ary disse:

    A melhor saúde no Maranhão…

  3. NONATO disse:

    SE NÃO MORRERAM COM QUARENTANTA ANOS DE GOVERNO SARNEY, OITO ANOS DE GOVERNO FLÁVIO DINO E QUATRO ANOS DE BOLSONARO, COM CERTEZA TÁ AI A PROVA DE RESISTAÊNCIA…