MESA FARTA

Brandão e Camarão pretendem gastar quase R$ 600 mil em alimentação

No apagar das luzes de 2022, o governo de Carlos Brandão (PSB) tenta licitar o fornecimento de alimentação para sua residência oficial, o Palácio dos Leões, e para a residência do vice-governador (Felipe Camarão (PT) a partir de 1º de janeiro), que fica em um bairro de classe média-alta da capital São Luís.

Pregões do tipo costumam trazer informações curiosas. Quem não lembra dos pedidos de lagosta e camarões para saciar a fome da então governadora Roseana Sarney (MDB)?

Se, dessa vez, o único crustáceo a ser atendido pelo certamente será o ex-secretário de Educação do estado, picanha, maminha e outras carnes nobres não irão faltar a ele e ao chefe do executivo maranhense.

O processo nº 219979/2022, que inclui somente o suprimento de proteína animal, tem valor global de R$ 190.737,50 (cento e noventa mil, setecentos e trinta e sete reais e cinquenta centavos).

O restante da mercearia consta no processo nº 241331/2022, cujo pregão eletrônico (nº 27/2022) foi aberto no último dia 16 de dezembro.

Entre os “Gêneros Alimentícios Perecíveis e Não Perecíveis” especificados, estão açúcar demerara (obtido a partir do suco da cana de açúcar e considerado mais saudável que o insumo comum), cacau em pó, farinha d’água, três tipos de azeitonas, molhos diversos e até mesmo o tradicional Guaraná Jesus.

O valor global deste processo é de R$ 393.110,72 (trezentos e noventa e três mil, cento e dez reais e setenta e dois centavos).

Por um lado, milhares de maranhenses convivem diariamente com a insegurança alimentar; por outro, ninguém passa fome nas residências oficiais do Governo do Maranhão no próximo ano.

Comentários estão desativados

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: