execução

Pacovan foi preso várias vezes e associado a deputados do Maranhão

Executado por pistoleiros na sexta-feira, em Zé Doca, o agiota Pacovan foi preso diversas vezes por determinação da Justiça do Maranhão, acusado de crimes contra a ordem tributária, lavagem de dinheiro e formação de organização criminosa.

Mais recentemente, o empresário, que também operava na Ceasa de São Luís e possuía negócios nos setores de agropecuária e combustíveis, além de emprestar dinheiro a políticos maranhenses, foi preso pela Polícia Federal. Ele foi implicado em investigações relacionadas ao desvio de emendas parlamentares, sendo diretamente associado aos deputados estaduais Josimar de Maranhãozinho e Pastor Gyldenemir, ambos do PL.

A reportagem do Sistema Mirante abaixo resume uma das várias prisões de Pacovan, que não costumava passar muito tempo na cadeia.

Comentários estão desativados

Os comentários estão desativados.