Em pé de guerra

Sinproesemma rebate Camarão: “narrativas que distorcem a realidade”

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação Básica das Redes Públicas Estadual e Municipais do Estado do Maranhão (Sinproesemma) resolveu se pronunciar neste domingo (5), após o vice-governador Felipe Camarão anunciar que recorreria ao Supremo Tribunal Federal (STF) contra uma decisão que beneficia o sindicato.

Em publicação nas redes sociais, a entidade alega que o Governo do Maranhão teria tentado não pagar os juros do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef) e que, após a intervenção de advogados da associação, o STF decidiu pelo pagamento integral aos profissionais da educação. A ação sobre os valores corria na justiça desde 2006.

O Sinproesemma diz ainda que a contratação da banca de advogados foi aprovada em 19 assembleias regionais pelo estado.

No último sábado (4), Camarão anunciou que recorreria de uma decisão do Ministro Kassio Nunes Marques que bloqueou 15% da verba do fundo para o pagamento dos advogados do Sinproesemma. Ele classificou a determinação como “descarada” e completou, dizendo que a ação que resultou na liberação das verbas para os profissionais foi movida pela administração estadual, não pela entidade de classe.

Comentários estão desativados

Os comentários estão desativados.