Helicóptero adquirido por empresa fantasma é encontrado na casa de Edinho Lobão

IMG-20141218-WA0050_resized

Policiais e oficiais de justiça apreenderam, na tarde desta quinta-feira (18), na residência do senador Edinho Lobão (PMDB), um helicóptero supostamente adquirido por uma empresa fantasma acusada de lavagem de dinheiro e fraude bancária.

De acordo com as primeiras informações, a aeronave modelo Robinson R44 II teria sido utilizada durante a campanha do candidato derrotado ao governo do Maranhão, inclusive constando na declaração de bens apresentada por ele à Justiça Eleitoral.

O gerente de fiscalização do Bradesco, João Cândido, disse estar surpreso com o envolvimento do senador da República no esquema criminoso. O banco investiga a compra de 60 bens, entre aviões, caminhões e carros de luxos adquiridos de forma fraudulenta pela empresa C J Oliveira Ltda.

Antes de ser negociado com Edinho, o helicóptero passou pelas mãos de vários donos, chegando a ser utilizada pelo ex-ministro Carlos Lupi (PDT) e apreendida pela Polícia Federal em uma operação que investigava o desvio de recursos públicos do Ministério do Trabalho.

Sarney diz se arrepender de ser senador

G1, com edição do blog.

Após 60 anos de mandatos políticos, o senador José Sarney (PMDB-AP) fez nesta quinta-feira (18) seu discurso de despedida no plenário do Senado. Ele afirmou se arrepender de ter voltado à vida pública depois de ter sido presidente da República, cargo que exerceu de 1985 a 1990 devido à morte do presidente Tancredo Neves.

jose-sarneyDepois que deixou a Presidência da República, Sarney foi eleito para cinco mandatos consecutivos de senador, dois pelo Maranhão e três pelo Amapá.  Em junho, o parlamentar anunciou a políticos e amigos que não disputaria as eleições deste ano para, segundo sua assessoria, cuidar da mulher, em tratamento médico.

“Eu tenho um arrependimento, até fazendo um mea-culpa. Penso que é preciso proibir que os ex-presidentes ocupem qualquer cargo público, mesmo que seja cargo eletivo. Nos Estados Unidos é assim, e eles passam a ter uma função que serve ao país. Então, eu me arrependo. Acho que foi um erro que eu cometi ter voltado, depois de presidente, à vida pública”, afirmou durante seu último discurso como senador.

Sarney falou sobre seu arrependimento quando defendia o fim da reeleição e ampliação dos mandatos para cinco ou seis anos. “Precisamos levar a sério o problema da reeleição”, disse. “Eu confesso que sou partidário de que não tivéssemos a reeleição, mas também sou crente de que o mandato de quatro anos é muito pequeno”, disse. No período em que presidiu o Senado, Sarney defendeu o mandato presidencial de cinco ou seis anos.

Bira do Pindaré e Pai Euclides são homenageados com a medalha Simão Estácio da Silveira

IMG_8181Em cerimônia oficial da Câmara Municipal de São Luís, na noite desta quarta-feira (17), o deputado estadual Bira do Pindaré (PSB) e o Pai de Santo Euclides Talabyan foram agraciados com a medalha Simão Estácio da Silveira. Os dois foram homenageados por indicação do vereador Nelsinho Brito (PT).

O evento aconteceu no auditório da Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (FIEMA) e o presidente da Câmara, Isaias Pereirinha (PSL), organizou as atividades.

A medalha “Simão Estácio da Silveira” é considerada a maior honraria do Legislativo Ludovicense, instituída pela Lei Orgânica do Município e regulamentada pela Resolução do Plenário 05/95.

A homenagem é destinada para agraciar personalidades locais, nacionais ou estrangeiras que tenham prestado relevantes serviços para o município de São Luís. Simão Estácio da Silveira foi o fundador e primeiro presidente do Senado da Câmara de São Luís, primeira denominação recebida pela casa legislativa municipal.

Câmara de São Luís constrange Weverton Rocha

weverton-rochaUm dos agraciados com a medalha Simão Estácio da Silveira, o deputado federal Weverton Rocha (PDT) virou motivo de chacota entre as autoridades contempladas com a honraria oferecida pela Câmara de Vereadores de São Luís, na cerimônia realizada na noite da quarta-feira (17), na sede da Fiema.

O parlamentar não pôde comparecer ao recebimento da comenda de indicação do vereador Ivaldo Rodrigues (PDT), enviando a esposa do ex-secretário Jerry Abrantes como sua representante.

Ao recapitular a carreira política do “Maragatuno”, o locutor do evento destacou a reforma inacabada do Ginásio Costa Rodrigues como única marca de sua passagem pela Secretaria de Esporte e Juventude do governo Jackson Lago (PDT), provocando ironias e gargalhadas entre os presentes.

Visivelmente constrangido, Ivaldo Rodrigues se apressou em exigir explicações para o cerimonial do legislativo municipal, sendo informado que o currículo fora lido na íntegra, conforme o texto enviado pela assessoria de Rocha.

Arnaldo Melo justifica pensão vitalícia concedida a Roseana Sarney

roseanaEm nota enviada ao blog, o governo Arnaldo Melo (PMDB) justificou os motivos para a concessão de pensão vitalícia à ex-governadora Roseana Sarney (PMDB).

Além da aposentadoria de quase R$ 21 mil como ex-funcionária da gráfica do Senado Federal, Roseana receberá mais R$ 24 mil dos cofres públicos estaduais pelo resto da vida.

Leia a nota:

“Sobre as interpretações acerca do subsídio concedido à ex-governadora Roseana Sarney, o Governo do Estado do Maranhão esclarece:

1 – Roseana Sarney reassumiu o Governo do Estado em 2009 e em 2011, já reeleita, abriu mão do subsídio de ex-governadora e optou por receber o subsídio de governadora.

2- Agora, ao renunciar ao cargo, referente ao mandato 2011/2014, Roseana Sarney tem direito novamente a requerer o subsídio na condição de ex-governadora.

3 – O subsídio trata-se de um benefício especial concedido a ex-governadores, assegurado pela Constituição Estadual, que não se aplica ao teto constitucional, não interferindo, portanto, na sua aposentadoria pelo Senado, conforme o parecer da Procuradoria Geral do Estado (PGE), de no 591, de 22 de junho de 2005, que diz: “A pensão vitalícia concedida ao ex-governador é um benefício de natureza adjutória pelo exercício da função pública relevante que não se confunde com os vencimentos percebidos pelos servidores públicos decorrente da contraprestação de serviços, razão pela qual referida pensão não se submete a regra proibitiva de vinculação prevista no art. 37, XIII, da Constituição Federal”.

4 – A legalidade do benefício, embora tenha sido questionada por meio de Ação Direta de Inconstitucionalidade no Supremo Tribunal Federal (STF), em 2005, ainda não tem decisão, seja de caráter liminar ou de mérito”.

Coutinho faz recuperação asfáltica em Caxias

asfaltocaxiasDepois de entregar postos de saúde, campos de futebol, construir uma upa, creches, Ginásios e praças poliesportivas, o prefeito Caxiense incremente a recuperação asfáltica da cidade, após a substituição de 73.000 metros de velhos canos de amianto, considerados cancerígenos, por canos de PVC para dar maior fluidez ao sistema de abastecimento d’água da cidade.

Mas só as ruas no centro da cidade, mas outros 12.000 metros de asfalto estão sendo esparramados para recuperar diversas ruas nos bairros Antenor Viana, Teso Duro, Fazendinha, São José, Alto da Cruz e Bela vista.

Assim como outro prefeitos de oposição, Léo Coutinho sofreu perseguição implacável do Governo de Roseana Sarney, que praticamente estrangulou o desenvolvimento da cidade, mas agora começa a respirar aliviado, pois espera que no Governo de Flávio Dino, a cidade de Caxias volte a ser tratada com o respeito que merece.

“Este é o presente de Natal que estamos entregando aos caxienses. Ruas revitalizadas, asfalto de boa qualidade, obras na saúde, no abastecimento de água. Além da beleza da iluminação pública e de natal, estamos recuperando muitas ruas para maior conforto de nosso povo que merece sempre ter uma cidade cada vez melhor”, afirmou Léo.

Patetice do dia: Arnaldo Melo concede pensão de R$ 25 mil a Roseana Sarney

roseana sarneyEstá explicada a razão pela qual Roseana Sarney tinha tanta urgência em deixar o Palácio dos Leões antes do final do mandato de governadora.

De acordo com o Diário Oficial do Estado, uma das primeiras providências do governador-tampão, Arnaldo Melo (PMDB), foi conceder pensão vitalícia de quase R$ 25 mil à antecessora.

A decisão foi publicada em 12 de dezembro, dois dias após a renúncia da filha do oligarca José Sarney.

A ex-governadora já é aposentada como servidora da gráfica do Senado Federal, recebendo salário de quase R$ 21 mil.

wpid-Photo-17122014-1728 (1)

Imagem: blog do Jeisael.

Com o acúmulo dos dois vencimentos, ela ganhará pelo menos R$ 46 mil mensais, valor superior ao subsídio pago aos ministros do Supremo Tribunal Federal, que deveria ser o teto do funcionalismo público.

PCdoB convida para entrega do prêmio José Augusto Mochel

Clay Lago, ex-primeira dama e presidenta do Instituto Jackson Lago, será homenageada em  premiação.

Clay Lago, ex-primeira dama e presidenta do Instituto Jackson Lago, será homenageada em premiação.

O PCdoB São Luís faz convite para a cerimônia de entrega da 8ª edição do Prêmio Augusto Mochel, que acontece na próxima quinta-feira (18), quando o PCdoB fará homenagens a personalidades de lutas populares, militantes, lideranças políticas e entidades que tenham se dedicado às causas democráticas.

O “Prêmio José Augusto Mochel”, em sua oitava edição, já é um evento aguardado por todos os militantes sociais do Maranhão. É o que garante o presidente do PCdoB/MA, jornalista Márcio Jerry, para quem “a premiação é um justo reconhecimento aos que se destacam na luta democrática, no presente e no passado”.

A solenidade foi instituída em 2007 pelo então deputado federal Flávio Dino, o prêmio representa uma homenagem permanente ao líder comunista José Augusto Mochel e já se tornou uma referência para a esquerda maranhense, que vê reconhecidos nomes dedicados à luta democrática, popular e socialista no Maranhão.

Chegando à sua 8ª Edição, o evento já homenageou diversas personalidades maranhenses, e este ano, fará homenagens a Maria Querubina (ativista pela reforma agrária), Haroldo de Oliveira (fundador do Sindicato dos Ferroviários), Clay Lago (presidente do Instituto Jackson Lago e ex-primeira dama do Estado), Dilermando Toni (membro do Comitê Central do PCdoB) e Chico Sales (ex-presidente da Fetaema). Na categoria de homenagens póstumas, será rememorada a história de José Machado, sindicalista assassinado na década de 80, Nelson Brito, que militou na área da cultura e coordenou o Laborarte e Antônio Soares, liderança política de Barra do Corda.

A premiação acontecerá no Grand São Luís Hotel (Centro), a partir das 18h e reunirá diversas lideranças políticas, representantes de movimentos sociais e populares.

Rapidinhas da tarde

Golpe?

wpid-Photo-17122014-1121Em conversa com a imprensa, o Coronel Zanoni Porto, Comandante da Polícia Militar do Maranhão, negou que haja qualquer tentativa de boicotar o novo governo que se inicia em janeiro de 2015, alegando que as vagas abertas para um longo curso preparatório no Rio Grande do Norte poderão, em tese, ser ocupadas por qualquer oficial superior, não somente por coronéis.

A versão foi confirmada pelo Comandante do Policiamento Metropolitano, Coronel Ivaldo Barbosa.

Contragolpe?

Um atento oficial à serviço da Assembleia contestou a informação de que a realização de cursos de aperfeiçoamento é uma prática comum na Polícia Militar, confirmando também os rumores de que somente os coronéis mais fiéis ao grupo Sarney teriam o desejo de deixar o estado por dois anos, no meio de uma crise de segurança e penitenciária sem precedentes na história do Maranhão.

O caso tem repercutido negativamente entre a tropa e a população em geral.

Trincheira

O Comando da PM compareceu em peso à Assembleia, na manhã desta quarta-feira, para entregar aos deputados estaduais a planilha com o planejamento estratégico da instituição para o triênio 2015/2017.

Peso da cadeira

Alegando problemas na coluna, Max Barros (DEM), presidente interino do legislativo estadual, não compareceu à penúltima sessão do ano.

Nos bastidores, comenta-se que ausência seria um acordo para permitir que Marcelo Tavares (PSB), futuro chefe da Casa Civil, conduzisse a votação do orçamento para o primeiro ano do governo Flávio Dino (PCdoB).

Maragatuno

O Superior Tribunal Federal deu andamento ao processo referente às supostas irregularidades na reforma do Ginásio Costa Rodrigues, iniciada ainda no governo Jackson Lago (PDT) pelo enrolado deputado federal Weverton Rocha (PDT), que é acusado pelo Ministério Público de desviar mais de R$ 5 milhões destinados à obra.

Gaivotada

Deputados estaduais reclamam que a Diretoria de Comunicação da Assembleia continua protegendo Roseana Sarney (PMDB) das críticas de parlamentares e denúncias da imprensa.

Os pronunciamentos de Rubens Junior (PCdoB), Marcelo Tavares, Othelino Neto (PCdoB) e Bira do Pindaré (PSB) a respeito do envolvimento da ex-governadora com o esquema do doleiro Alberto Youssef foram divulgados com três dias de atraso.

Sob as ordens de Dulce Brito, a gaivota da Mirante resiste em virar guará.

Do fundo do nosso quintal

Depois que Tereza Sarney mandou cortar privilégios e diminuir a frota dos veículos de reportagem do Sistema Mirante de Comunicação, um radialista que se diz próximo ao prefeito Edivaldo Holanda Braga Junior (PTC) passou a utilizar os carros da Blitz Urbana para locomoção e transporte de equipamentos.

Mistério

O pedido de cassação do mandato da deputada estadual eleita, Nina Melo (PMDB/PEN), foi misteriosamente retirado da pauta dessa terça-feira do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O caso da filha do governador tampão, Arnaldo Melo (PMDB), seria apreciado em última instância pela corte eleitoral, mas a votação foi adiada para amanhã (18).

A relatora do processo é a ex-advogada da Fundação José Sarney, Luciana Lóssio.

Óleo de babaçu

Um experiente parlamentar estranhou o súbito interesse do colega Stenio Rezende (PRTB) pelas estradas inacabadas no estado, a ponto de fazer comparações com o famigerado escândalo do Babaçu.

Na manhã de hoje, o peeretebista voltou a cobrar o governo em nome de empreiteiros e pedir a continuidade das obras paralisadas.

Justiça afasta Marcelo Baldochi de suas funções e instaura procedimento administrativo

O Tribunal de Justiça do Maranhão afastou de suas funções, na manhã desta quarta-feira, 17, o juiz Marcelo Baldochi, protagonista de uma cena polêmica no aeroporto de Imperatriz, semana passada, quando mandou prender, sem razões, dois agentes da companhia aérea TAM após chegar atrasado para embarcar em voo.

marcelo-testa-baldochiA apuração foi feita pelo desembargador Bayma Araújo.  Ele apresentou relatório e pediu instauração de procedimento administrativo disciplinar com imediato afastamento das funções judiciais.

Segundo Bayama,  a decisão se deu por diversos motivos. A arbitrariedade das prisões não foram os únicos. Várias instâncias,  como a Ordem dos Advogados do Brasil e a Associação dos Magistrados,  repudiaram a atitude que ganhou repercussão nacionalu.

“Jamais tinha sido humilhado dessa forma. Ser chamado de calhorda, de vagabundo, de pilantra”, comentou o despachante de voo Argemiro Augusto.

Segundo a investigação da polícia, as câmeras do aeroporto mostram o momento da chegada do juiz Marcelo Baldochi ao balcão da companhia aérea, às 20h37. Os funcionários avisam que o check-in do voo para Ribeirão Preto, em São Paulo, havia sido encerrado quatro minutos antes. O juiz discute. “Tem que aprender a respeitar o consumidor”, diz.

Irritado, dá voz de prisão aos atendentes. “Está preso em flagrante”, afirma. Imagens de celular de outro passageiro mostram quando policiais levaram os dois funcionários pra delegacia. “Muito constrangedor. Todo mundo me olhando como se fosse um bandido. Não desejo isso para ninguém”, afirma Alessandro.

Depois da confusão, Baldochi embarcou no avião de outra companhia. O juiz passou a semana inteira no interior de São Paulo, de licença por causa da morte de um parente. Ele ainda não apareceu na delegacia de Imperatriz para prestar depoimento.

Denúncia de trabalho escravo no Maranhão

No ano seguinte, uma fiscalização do Ministério do Trabalho apontou irregularidades em uma fazenda dele, também no Maranhão: 25 pessoas, incluindo um menor de idade, trabalhavam sem as mínimas condições de segurança e higiene. O caso foi mostrado em uma reportagem do Fantástico.

O nome do juiz chegou a ser incluído na lista nacional de fazendeiros acusados de usar trabalho escravo, divulgada pelo Ministério do Trabalho.

Em 2007, Marcelo Baldochi assinou um termo de ajustamento de conduta em que se comprometeu a não maltratar os empregados e pagou R$ 38 mil em direitos trabalhistas. Ao Fantástico, ele negou as acusações. “Creio que se eu não fosse juiz, não teria essa especulação do caso”, disse na época.

Naquela época, o Conselho Nacional de Justiça determinou que o Tribunal de Justiça do Maranhão abrisse processo administrativo contra o juiz, mas uma liminar do Supremo Tribunal Federal suspendeu a decisão.

Representação da OAB

Segundo o CNJ, fora este processo, existem outros seis processos contra o juiz Baldochi que foram arquivados.Esta semana, a Ordem dos Advogados do Brasil entrou com uma representação contra o juiz por causa de denúncias como humilhação e tentativas de dificultar o trabalho dos advogados na região. “Não dá para somar. As reclamações são muitas”, revela o presidente da OAB de Imperatriz Malaquias Neves.
“Tudo aí são antecedentes e talvez tenha outros casos que possibilitem, que nos obriguem a tomar providências legais com a abertura de novas investigações”, afirma o desembargador do Tribunal de Justiça do Maranhão Antonio Bayama Araújo.

Uma delas envolve o tabelião Robson Cordeiro, que recebeu uma ordem de prisão escrita à mão pelo juiz Marcelo Baldochi dias antes do episódio no Aeroporto de Imperatriz. Ele conta que se negou a entregar de graça a cópia de um documento porque o papel estava sem o selo de gratuidade impresso. “Eu sei que ele é um juiz, a gente tem que cumprir as determinações dele, mas não arbitrariamente dessa forma”, diz o tabelião.

Robson foi liberado por falta de provas, mas diz que já encaminhou uma queixa ao Conselho Nacional de Justiça e vai processar o juiz por danos morais.A testemunha dele contra Baldochi é outro juiz. “Eu vou apenas narrar o que eu tomei conhecimento. Não podemos nos furtar a falar a verdade, ainda que seja contra um juiz que é do mesmo tribunal que eu pertenço”, conta o juiz Adolfo Pires.