Lula e Dilma sabiam do Petrolão, diz doleiro

Blog do Josias

CapaVejaEm reportagem de capa, a revista Veja informa a menos de 72 horas da eleição presidencial: “O doleiro Alberto Youssef, caixa do esquema de corrupção na Petrobras, revelou à Polícia Federal e ao Ministério Público, na terça-feira, que Lula e Dilma Rousseff tinham conhecimento das tenebrosas transações na estatal.”

Acusado de lavar algo como R$ 10 bilhões em verbas de má origem, Youssef foi preso em março. Depõe como delator desde 29 de setembro. De acordo com o relato do repórter Robson Bonin, o doleiro está bem mais magro, exibe um rosto pálido, raspou o cabelo e livrou-se da barba. Habituado às sombras, ele agora rompe o silêncio com desassombro.

A alturas tantas, Youssef soou peremptório: “O Planalto sabia de tudo.” O delegado federal que o inquiria quis saber: “Mas quem no Planalto?” E o delator: “Lula e Dilma.” Exposto no site da revista, o teor da capa de Veja veio à luz mais cedo. Normalmente, costuma ser divulgado nas noites de sábado. Por ora, o Planalto, o Instituto Lula e o PT não se manifestaram.

Após denúncia de Marcelo Tavares, Justiça suspende licitação abusiva do Governo Roseana

Juiz diz que licitação abusiva do governo Roseana pode ferir os cofres públicos.

Juiz diz que licitação abusiva do governo Roseana pode ferir os cofres públicos. Denúncia é de Marcelo Tavares (foto).

Justiça proibiu, na tarde desta quinta (23), a licitação aberta pelo Governo Roseana Sarney que tinha por objetivo contratar empresa para gerenciar o Sistema Penitenciário do Maranhão por dois anos. O valor foi considerado abusivo e foi denunciado à Justiça pelo deputado estadual Marcelo Tavares (PSB), coordenador da Equipe de Transição designada por Flávio Dino.

Com valor de R$ 1,39 bilhão, a licitação seria realizada na tarde desta quinta (23), às 15h, na Comissão Central de Licitação do Governo do Estado. O valor, que corresponde a nada menos que 10% de todo o orçamento do Estado, foi considerada abusiva pelo juiz Douglas de Melo Martins, que responde pela Vara de Interesses Difusos e Coletivos.

O juiz acolheu a argumentação do deputado, que demonstrou que o contrato pretendido pelo Governo Roseana era abusivo. A licitação transcorreria no final do mandato de Roseana Sarney, o quer descumpre o artigo 42 da Lei Complementar 101/2000. O dispositivo legal proíbe que nos últimos oito meses de administração sejam feitas contratações que não possam ser pagas pelo governo que termina.

Além disto, o juiz salientou que o valor global do contrato ultrapassa o razoável para a contratação desse serviço está muito acima do praticado em todo o Brasil. A título de comparação, o juiz mostrou que o estado do Alagoas gasta mensalmente por preso o valor total de R$ 3 mil, enquanto o contrato proposto por Roseana Sarney dedicaria a cada preso nada menos que R$ 8.891,00 mensalmente.

A decisão, segundo o magistrado, teve por obrigação “resguardar o patrimônio público, especialmente em razão da proibição do enriquecimento ilícito do particular às custas da Administração Pública”. O caso continuará sendo investigado pela Justiça Estadual.

Ida de Flávio Dino ao Amapá é marcada por grande comício anti-Sarney na capital

A passagem de Flávio Dino no final do segundo turno no Amapá foi o que se pode chamar de apoteótica. Responsável pela derrota do grupo oligárquico no Maranhão e que agora sonha em migrar seu poderio para o Amapá, Flávio participou de comício em apoio à reeleição de Camilo Capiberibe – candidato opositor ao grupo de José Sarney naquele estado.

Em discurso inflamado, Flávio Dino dirigiu uma palavra de coragem aos amapaenses. Após sofrer agressões de rádios e TVs quase que diuturnamente desde que chegou à política, Flávio venceu as eleições para o governo do estado com larga vantagem n Maranhão.

Eram mais de 5 mil amapaenses reunidos em Macapá em um grande comício que reuniu também lideranças políticas locais e os três senadores do Estado. Davi Alcolumbre (eleito em 2014 no lugar de Sarney), Randolfe Rodrigues e João Capi. Todos apoiam Camilo Capiberibe.

Empolgados com o discurso do governador eleito que apoia a reeleição de Capiberibe, os amapaenses iniciaram um coro: “Fora, Sarney! Fora Sarney!” que deve ter se repetido por 10 vezes. Acompanhando a animação do público, Dino arrematou: “Há quem diga que eles foram expulsos do Maranhão e estão vindo para o Amapá. Mas eu vou levar esta boa-nova para o Maranhão: eles vão ter que comprar passagens com destino para outro lugar”.

O público foi ao delírio…

Arnaldo passa por constrangimento na Assembleia por causa de calote

Arnaldomelolouremar.com_.br_O presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, Arnaldo Melo (PMDB), passou por um constrangimento daqueles na manhã desta quinta-feira (23).

No plenário, o deputado estadual conversava com jornalistas sobre a possibilidade de renúncia da governadora Roseana Sarney (PMDB), quando foi abordado pelo radialista Zé Filho para tratar sobre dívidas de campanha.

“Quando o senhor vai pagar a gente, deputado?”, questionou o profissional, cobrando explicações sobre o calote generalizado que o candidato derrotado ao governo do Estado, Edinho Lobão (PMDB), aplicou em Imperatriz.

Vermelho de vergonha, o parlamentar ainda tentou se explicar, mas não deu perspectiva de quando o compromisso de campanha será honrado. “Não tenho contato com o Edinho desde o dia da eleição”, afirmou Arnaldo, que foi candidato a vice-governador da coligação Pra frente, Maranhão.

Um grupo de profissionais imprensa e cabos eleitorais que trabalharam na campanha majoritária do PMDB se mobiliza para denunciar o calote ao Ministério Público Estadual e cobrar as dívidas em uma ação na Justiça do Trabalho.

Rapidinhas da quinta-feira

Picolé de Chuchu

luisfernando

O ex-secretário Luís Fernando Silva (PMDB) não deve se posicionar sobre política antes de fevereiro de 2015. Por enquanto, ele fatura com consultorias em gestão pública para prefeituras de São Paulo e de Minas Gerais.

Epa

Quem é o candidato a senador, apoiador de tucano, que deixou toda a sua equipe de campanha sem receber pagamento até agora?! Imagine o tamanho do calote.

Falando nisso…

Ao saber do resultado das últimas pesquisas do 2º turno para a Presidência da República, Roberto Rocha (PSB) soltou a seguinte pérola em um grupo de WhatsApp: “O PT comprou o Datafolha”.

Do lado de cá

Depois de retirar a candidatura para presidir a Assembleia Legislativa do Maranhão, o deputado estadual Othelino Neto (PCdoB) trabalha para se viabilizar o primeiro vice-presidente da chapa de Humberto Coutinho (PDT).

Do lado de lá

Os Sarneys não devem abrir mão da disputa pelo comando do legislativo estadual. O empresário Fernando Sarney tem trabalhado pessoalmente pela candidatura de Eduardo Braide (PMN) para a presidência da Casa. Diz um importante aliado do dono da Mirante que o grupo já conta com o apoio de dez parlamentares.

Afinando o discurso

Parlamentares eleitos pelo grupo de Flávio Dino se reuniram hoje num almoço com Márcio Jerry (PCdoB) e o deputado estadual Marcelo Tavares (PSB).

Semancol 

Após denúncias da oposição, a Secretaria de Justiça e Administração Penitenciária (Sejap) resolveu suspender a licitação imoral de R$ 1,3 bilhão para a gestão do Sistema Prisional.

Amapá

Flávio Dino (PCdoB) está no Amapá, participando dos atos de campanha do candidato à reeleição no estado, Camilo Capiberibe (PSB).

Campanha

Dino participou ontem de uma caminhada com Capiberibe e gravou participação no programa eleitoral do governador amapaense.

De volta

O governador eleito estará em São Luís amanhã. Ele vota no domingo, no Colégio Clarindo Santiago, no Olho d’Água. Somente na próxima segunda-feira, anunciará novos nomes de sua equipe de governo.

Mãos sujas

A campanha de Waldez Góes (PDT), candidato de José Sarney no Amapá, é conduzida pelo ex-secretário de Comunicação do Maranhão, Sérgio Macedo, conhecido pela alcunha de “marqueteiro da maldade”.

Tavares pede na Justiça a anulação de licitação abusiva do Governo Roseana

marcelo-tavaresO deputado estadual Marcelo Tavares (PSB) já recorreu ao Poder Judiciário para pedir a suspensão do processo licitatório do contrato de R$ 1,3 bilhão para gestão do sistema penitenciário. O caso foi denunciado na manhã desta quarta-feira (22) no plenário da Assembleia Legislativa.

O contrato licitado por Roseana Sarney às vésperas de deixar o cargo representa o equivalente a 10% do orçamento total do Estado. Para cada preso, o gasto mensal seria de R$ 8.891,00, valor que representa o dobro da média nacional de gastos no setor, que é de aproximadamente R$ 4 mil.

No documento entregue à Justiça, o coordenador da Equipe de Transição de Flávio Dino, Marcelo Tavares destaca a necessidade da contratação de empresas para prestação de serviços de suporte e apoio à administração penitenciária. “Todavia, é indispensável certificar-se de que a contratação desses serviços seja feita de forma lícita e responsável, afim de que atenda o verdadeiro objeto da contratação com valores equitativos que não lesem o erário”, consta na ação.

A preocupação da Equipe de Transição designada por Flávio Dino para conhecer os contratos vigentes do Estado a partir de 1o de janeiro é garantir que a próxima Administração do Estado seja feita com contratos que cumpram todas as disposições legais da Administração Pública. Isto é, assegurar a legalidade, moralidade e economia nos gastos públicos.

Conforme demonstrado pelo deputado na tribuna e na petição, a licitação aberta pelo governo Roseana Sarney no fim do mandato tem cifras muito acima da média nacional e podem comprometer os cofres públicos estaduais. O deputado afirmou que todo trabalho da transição será feito para impedir abusos do grupo Sarney nos últimos meses de mandato e garantir que o próximo governo tenha condições de implantar as políticas públicas aprovadas amplamente pela população maranhense nas últimas eleições.

Roseana admite renúncia; Arnaldo prepara a desforra

arnaldo melA governadora do Maranhão, Roseana Sarney (PMDB), confirmou, nesta quarta-feira (22), que considera a possibilidade de renunciar ao cargo.

Em entrevista à rádio Mirante AM, Roseana também admitiu que não entregará as obras anunciadas na sua gestão, muito menos os 72 hospitais do Saúde é Vida.

“Algumas obras vão ficar para serem entregues depois, mas todas elas ficarão com recursos em caixa para a conclusão”, disse a filha do oligarca José Sarney, dando o tom de qual será o discurso dos seus aliados a partir de janeiro de 2015.

Questionada sobre os rumores de que renunciaria em favor do presidente da Assembleia Legislativa do Maranhão, Arnaldo Melo (PMDB), ela desconversou. Admitiu, no entanto, que a possibilidade é discutida nos bastidores do seu grupo político.

A desistência da governadora de concluir o mandato faria parte de um acordo para compensar Melo pelas frustrações políticas sofridas neste ano.

Além de humilhado nas urnas como candidato a vice na chapa derrotada de Edinho Lobão (PMDB), o deputado estadual por muito pouco não ocupou efetivamente a cadeira de governador. Foi defenestrado num último instante pela própria Roseana, quando esta desistiu de se desincompatibilizar do cargo para concorrer como senadora.

De olho na pomposa aposentadoria de governador, com privilégios e salário vitalício de aproximadamente R$ 25 mil, Arnaldo anda sorrindo para as paredes. Todavia, o que mais anima o presidente do legislativo estadual é a possibilidade de ter nas mãos a chave do cofre e comandar a despedida do grupo Sarney sentado no Palácio dos Leões.

Deputado denuncia aditivo milionário em contrato da Bem Viver com secretaria de Ricardo Murad

ricardo muradA principal pauta dos debates na sessão plenária desta quarta-feira (22), na Assembleia Legislativa do Maranhão, foi a transição de governo no estado. O deputado estadual Bira do Pindaré (PSB) apresentou um extrato, de um termo aditivo, ao termo de parceria entre a Secretaria de Saúde, o Hospital Carlos Macieira e a Bem Viver (Associação Tocantina para o Desenvolvimento da Saúde).

A Bem Viver é responsável pela gestão do HCM (Hospital Carlos Macieira) e o valor do contrato mensal era de seis milhões, setecentos e vinte e quatro mil, oitocentos e cinquenta e seis reais e quarenta e um centavos. Com esse aditivo, sobe para onze milhões, onze mil, quatrocentos e seis reais e trinta e seis centavos. Um incremento da ordem de 63,74%.

O parlamentar questionou o tamanho desse aumento, a razão, os motivos e a necessidade dele ser realizado “no apagar das luzes de um governo”. Para Bira, esse procedimento é no mínimo suspeitoso, pois pode comprometer o presente ou o futuro da gestão pública do estado.

O socialista lembrou as inúmeras e inacabadas reformas “realizadas” pela atual Governadora no Hospital Carlos Macieira, o fim do atendimento aos servidores do estado. “A gente tem a informação desse incremento de gasto, que tem que ser questionado, inclusive, do ponto de vista da legalidade. É fundamental que a gente dê transparência a essas informações em busca de esclarecimentos adequados”, defendeu Bira.

O fato mais grave da denúncia do Deputado é que apesar de um incremento de 63% no valor do contrato de manutenção, visando cobrir despesas com materiais, a população reclama constantemente de falta de remédio no HCM. “Fica nosso questionamento, esperando que os representantes do atual governo se manifestem e a gente certamente vai buscar todos os caminhos, jurídicos inclusive, para questionar devidamente esses procedimentos que estão sendo adotados no apagar das luzes do atual governo”, garantiu Bira.

Roseana quer renunciar para não passar faixa a Flávio Dino

Poder Online

roseana-JN-2A governadora do Maranhão, Roseana Sarney (PMDB), deve renunciar ao mandato no início de novembro. O que se diz no círculo próximo à peemedebista é que ela não tem a menor intenção de passar diretamente a faixa ao governador eleito e ex-presidente da Empresa Brasileira de Turismo (Embratur) Flávio Dino. Nos bastidores, diz-se que ela ficaria “extremamente constrangida” em ser obrigada a fazer a transmissão a um político da oposição.

Se Roseana seguir adiante com os planos, quem deve assumir o governo nesta reta final é o presidente da Assembleia Legislativa, Arnaldo Melo (PMDB). Um detalhe: Melo era candidato a vice-governador de Edison Lobão Filho (PMDB) e ficará sem mandato na próxima legislatura. Caso Melo assuma, após menos de dois meses de mandato, ele terá direito a uma aposentadoria vitalícia de aproximadamente R$ 25 mil.

Roseana prepara mais uma licitação bilionária às vésperas de deixar o comando do Estado

roseana-arapongaUma escandalosa licitação no sistema penitenciário estadual está em curso como um dos últimos suspiros do governo de Roseana Sarney. Nada menos que R$ 1,3 bilhão para cuidar do sistema presidiário do estado inteiro serão licitados nos próximos dias. O mais estranho desse contrato, no entanto, é que o valor do gasto por preso é o dobro da média nacional.

As empresas que cuidam desse serviço, hoje, são a VTI e a Atlântica (esta última, pertencente ao um ex-sócio de Jorge Murad, esposo de Roseana Sarney). O contrato que será licitado terá duração de dois anos – metade do tempo de administração do próximo governador.

Acontece que o valor por preso, segundo cálculos da equipe de transição, é de R$ 8,8 mil por mês para cada preso. A média nacional com gastos carcerários é de aproximadamente R$ 4 mil.

Por se tratar de tema delicado e que mexe diretamente com a maior crise já vista neste estado, o assunto deve ser tratado com grande atenção pela equipe de transição de Flávio Dino. Por este motivo, o deputado Marcelo Tavares (futuro chefe da Casa Civil) deve levar o caso ao conhecimento do público para evitar mais este abuso, na tribuna da Assembleia.