Othelino inaugura comitê em São Luís e lança candidatura a deputado

O deputado estadual Othelino Neto (PCdoB) lança, oficialmente, sua candidatura à reeleição na Assembleia Legislativa e inaugura comitê de campanha, em São Luís, nesta quarta-feira (30), às 18h, na Avenida Jerônimo de Albuquerque, Vinhais, ao lado do Eletro Mateus e próximo ao Posto Brasil.

O evento político contará com a presença do candidato ao governo do Estado pela coligação “Todos pelo Maranhão”, Flávio Dino (PCdoB).

Flávio Dino gravou vídeo convidando a todos para se fazerem presentes na inauguração do comitê e lançamento da candidatura de Othelino à reeleição.

Apoio de Washington Macaxeira e Honorato a Victor Mendes abre crise entre sarnopetistas

victor mendes washingtonA eterna crise entre os petistas alinhados ao Palácio dos Leões parece não ter fim.

Depois de estimular o lançamento de várias candidaturas, o ex-vice-governador do Maranhão, Washington Luiz Oliveira, decidiu apoiar a dupla Hélio Soares (PMDB) e Victor Mendes (PV) para deputado estadual e federal.

A dobradinha tem o apoio de Honorato Fernandes (PT). Louco para passar a perna em Raimundo Monteiro (PT), candidato sub-judice à primeira suplência da chapa de Gastão Vieira (PMDB), o vereador de São Luís começou a pedir votos para os dois parlamentares do grupo Sarney.

Sarnopetistas reclamam que as bases e lideranças do partido no estado têm sido utilizadas para eleger meia dúzia de candidatos estranhos ao PT, temendo servir de “bucha de canhão” para a eleição de nomes como Claudio Trinchão (PSD) e Fábio Gondim – sub-judice por ter se filiado fora do prazo legal.

Criticam também a falta de espaço no palanque de Edinho Lobão (PMDB). A desmoralização dos postulantes da sigla é tanta que eles sequer são convidados a participar dos atos de campanha do candidato da oligarquia Sarney a governador.

Por conta de tudo isso, os candidatos a deputado da legenda se reunirão nesta semana e ameaçam, inclusive, fazer uma renúncia coletiva.

No meio dessa confusão toda, quem está rindo à toa é a turma que aderiu a candidatura de Flávio Dino (PCdoB).

Com o aval de lideranças nacionais como a presidente Dilma Rousseff (PT), o grupo até inaugurou, na semana passada, um comitê em apoio ao comunista – que lidera em todas as pesquisas de intenção de votos para governador do Maranhão.

Edinho Lobão, o candidato enrolado com a Justiça

Imagem do local

O maior escândalo do enrolado Edinho: uma clínica-fantasma que lhe custa a impugnação de candidatura.

Além das duas sentenças que condenaram Edinho Lobão por crimes, o candidato do grupo Sarney ainda é investigado por formação de quadrilha e falsidade ideológica no Supremo Tribunal Federal.

Mais recentemente, a imprensa revelou o escândalo da clínica-fantasma pertencente à empresa do suplente Edinho Lobão, que agride o bom senso e a moralidade pública em plena avenida São Luís Rei de França, no Turu, na capital do Maranhão.

Pela clínica-fantasma montada em parceria com Ricardo Murad, Edinho recebe R$ 30.000,00 por mês do contribuinte. O detalhe ainda mais hediondo: esse dinheiro é destinado ao tratamento de pessoas com câncer.

Por tudo isso, depois de mais de 20 dias de campanha, o candidato da oligarquia nunca conseguiu seu registro na Justiça Eleitoral, ou seja, ninguém nem sabe se ele pode ser candidato. E o rolo é tão grande que certamente irá parar no Tribunal Superior Eleitoral.

Essa é uma das razões para que o milionário empresário dono da TV Difusora ainda esteja longe dos tão sonhados 30% nas pesquisas.

Com a candidatura enrolada na Justiça, empacado nas pesquisas, campanha fraca e com o tempo cada vez mais curto, é inevitável a metamorfose: o Lobão vai diminuindo de tamanho e virando mesmo um Lobinho.

CGU desmascara mais um factóide do grupo Sarney contra Flávio Dino

CGU

A Controladoria Geral da União vem sendo usada a torto e a direito pelo grupo Sarney para tentar imputar qualquer problema para a gestão de Flávio Dino na Embratur. Repetem com insistência uma cantilena de que CGU acusou o então presidente da Embratur por conta de uum contrato anterior à gestão de Dino.

cgu EMA

Na edição de domingo, o jornal da família Sarney estampou mais uma mentira contra Flávio Dino. Dois dias depois, o panfletão da oligarquia foi desmoralizado pela CGU.

Mais uma vez, o grupo Sarney, Murad e Lobão foi desmoralizado publicamente mentiras contra seus adversários. É a segunda vez que a CGU vem a público informar que nada consta em desfavor de Flávio Dino. Nenhuma investigação ou parecer técnico sequer.

A certidão emitida ontem pela CGU após ser usada politicamente pelo grupo de José Sarney é bastante clara: “NÃO CONSTA processo aberto no âmbito da CGU ou a existência de parecer técnico pela irregularidade das contas do Senhor FLÁVIO DINO DE CASTRO E COSTA, no tocante ao período em que exerceu o cargo de presidente da EMBRATUR”.

Fica mais uma vez evidente a tentativa de manipulação da opinião pública pelo panfletão da família Sarney, que foi mais uma vez desmoralizado e desmentido para todo o Brasil.

“O Flávio é um verdadeiro líder”, diz Marcelo Tavares

O Imparcial

marcelotavavaresPolítico com larga experiência, Marcelo Tavares (PSB), optou por não disputar a reeleição este ano, porém ocupa cargo de relevância na eleição, ele é o responsável por conduzir a coordenação política da campanha de Flávio Dino (PCdoB). Após ocupar a chefia da Casa Civil no governo Zé Reinaldo e ser presidente da Assembleia Legislativa, o socialista tem experiência de sobra para conduzir este processo.

Em entrevista exclusiva ao jornal O Imparcial, Marcelo Tavares fala como está sendo conduzida a campanha de Flávio e revela que ele é o mais consistente candidato que a oposição já teve na disputa pelo governo. O deputado estadual ainda comunica, que não está aposentado da vida política, apesar da não participação de forma direta nas eleições.

Confira na íntegra a entrevista:

O Imparcial – Marcelo nesta eleição tu vai estar ocupando um papel diferente. Vai estar nos bastidores. Quais são as principais diferenças da função de coordenador de campanha para quem disputa um cargo?

Marcelo Tavares – Olha pra mim essa questão de coordenação de eleição não é uma novidade. Mas eu digo a você que é muito mais fácil fazer uma campanha com um candidato como o Flávio Dino. Ele está realmente preparado para ser governador, pois ele irá fazer um governo de mudança, para melhorar a vida dos maranhenses.

Em 2002 o senhor acompanhou o Zé Reinaldo, em 2006 o Edson Vidigal, em 2010 o Flávio Dino. Qual diferença desta eleição para as demais?

São campanhas diferentes. Em 2002, a campanha do Zé Reinaldo era uma continuidade, afinal ele já era governador. Em 2006, o Vidigal era candidato do Zé Reinaldo. E agora o Flávio é uma oposição ao que está colocado no governo. O modelo que é empregado hoje, deve ser modificado e hoje Flávio Dino é o que possui melhores condições para promover a mudança no Maranhão, que possui um dos piores índices sociais do país.

Como coordenador de campanha, o senhor deve ter também participado da elaboração do plano de governo do Flávio Dino. O que diferencia as propostas para a dos demais?

Para começar, destaco a forma como foi construído. O plano de governo do Flávio foi construído através do dialogo com a população maranhense. Percorremos boa parte do estado, escutamos o povo e as nossas propostas estão enraizadas naquilo que a população deseja. O plano do Flávio é extremamente próximo do que desejam os maranhenses, pois foi construído ouvindo o povo.

O principal adversário do Flávio, diz possuir o apoio de centenas de prefeitos e lideranças políticas. O que vocês pretendem fazer para vencer essa barreira e receber o apoio popular?

O Flávio não tem tido dificuldades em receber o apoio da população. Tanto que há muito tempo, ele lidera as pesquisas para governador. Não temos dificuldades em ter o apoio da população maranhense. Evidente que o apoio dos prefeitos ao candidato Edinho Lobão, está relacionada ao domínio da máquina pública e não está relacionado ao sentimento da população maranhense.

O senhor optou por não disputar a reeleição de deputado estadual. Isso foi fundamental para que o senhor fosse escolhido coordenador de campanha?

Olha em primeiro lugar, não me considero aposentado, só decidi não disputar a reeleição. Por entender que já cumpri o meu papel. Já fui presidente da Assembleia Legislativa, participei de comissões, enfim tive minha atuação. Diante disto, o Flávio me convidou para ajudar a coordenar a sua campanha, assim como outras pessoas, cito aqui o Márcio Jerry. Além disso, eu já liderei a oposição aqui na Assembleia Legislativa, eu conheço os problemas do nosso estado e assim posso ajudar para que a campanha transcorra com muita proximidade com todos os grupos políticos que formam a nossa base de apoio, são nove.

O juiz Márlon Reis, ele é contra a perpetuação dos parlamentares. O senhor teve bom senso e decidiu parar ao chegar no terceiro mandato. Falta este entendimento para muitos políticos?

Olha eu acho que a legislação deve mudar para impedir isto. Essa foi uma das razões que me fizeram a não disputar mais este cargo. Essa perpetuação no poder não traz bons frutos para o país. É uma mudança difícil de ser aprovada no Congresso Nacional, concordo com o Márlon Reis, acredito que deve ser levado também para o executivo essa discussão. A nossa legislação tem de avançar e se preparar para as regras futuras.

Como é que está a perspectiva de vocês para a eleição de deputado estadual e federal? Qual a meta?

Eu entendo que nós temos condições de fazer um bom número de deputado estaduais e federais. Se não obtivermos a maioria nas urnas e a população escolher Flávio Dino governador, teremos muito critério na ampliação dessa base. Pois muito mais que adesão, iremos respeitar os princípios que serão apresentados durante a campanha eleitoral, por isso não será qualquer um que fará parte de uma possível base governista. A nossa meta é eleger 8 ou 9 deputados federais e pelo menos a metade dos deputados da Assembleia Legislativa. Acreditamos que durante a campanha eleitoral, possa ocorrer uma transferência de votos para nossos deputados, assim como o Flávio tem um excelente percentual, nós temos muitas condições de crescer.

Todas as pesquisas apresentadas até o momento, apontam para uma definição no primeiro turno da eleição. O Flávio lidera as pesquisas. Existe um sentimento de euforia por parte de vocês para chegar ao governo?

Nunca houve esse sentimento. Nós sabemos as dificuldades para enfrentar a máquina pública. Não existe em ninguém esse sentimento de euforia. Se a vitória vier no primeiro turno, muito bem, será um sinal que a população assimilou bem as propostas do Flávio Dino. Existe uma consciência plena, que nossos pés estão no chão, exigindo muita motivação, disposição e paixão no sentido de que estamos virando a página do Maranhão. O futuro do nosso estado, depende do resultado dessa eleição. Nós acreditamos muito na vitória do Flávio Dino e Roberto Rocha, o que significa dias melhores para a nossa população.

Pela sua experiência política e por ter uma disputa polarizada, o senhor não acha que essa disputa acaba em um turno?

Olha, eu não vejo essa disputa polarizada. As pesquisas não mostram essa polarização. Se a eleição vai terminar em primeiro turno ou não, cabe a população definir. O que nós temos certeza absoluta é do trabalho que devemos fazer para obtermos um trabalho positivo e proveitoso.

É muito importante eleger uma bancada forte para a Assembleia Legislativa e Câmara Federal. Qual é a importância de eleger Roberto Rocha?

O Maranhão tem senadores que não tem defendido o nosso estado e nós precisamos de um senador, que em consonância com o governo estadual, possa na Câmara alta defender os interesses da população. Não podemos ter senadores que só pensam nos seus interesses eleitorais. Pois temos exemplos de senadores, que bloquearam recursos para o Maranhão, quando a oposição estava no governo. Por isso nós precisamos de um senador, que esteja pensando no povo maranhense. Pois precisamos de um projeto de desenvolvimento para o Maranhão e quem representa isso é o Roberto Rocha, com todo respeito aos demais candidatos.

Como o senhor falou, a oposição reuniu uma gama enorme de aliados para esta eleição. São nove partidos e centenas de lideranças. Mas existe unidade? E como será o processo para acomodação de todos em um eventual governo?

Não existe nenhuma divisão na nossa base. Todos os partidos estão focados e conscientes da importância desse processo para mudar a página do Maranhão. Não há nenhum interesse dos partidos em se dividirem neste momento e nem iremos discutir cargos. Essa unidade que foi construída ao longo de um processo longo, será mantida no governo. Pois o Flávio tem se demonstrado um verdadeiro líder. Teremos um governo extremamente coeso, se assim a população quiser. Então não existe preocupação por conta de temer rachas ou divisão de cargos. Não há nenhum sentimento de querer discutir um governo que ainda nem existe.

Juiz maranhense é representado por livro que revela corrupção

Márlon Reis no lançamento do livro Nobre Deputado, em São Luís.

Márlon Reis no lançamento do livro Nobre Deputado, em São Luís.

Radar Online, com edição

Henrique Alves, presidente da Câmara de Deputados, prometeu e cumpriu. Acaba de chegar ao CNJ uma representação sua contra o juiz Márlon Reis, autor do livro Nobre Deputado.

No livro, lançado recentemente pela Leya, Márlon – idealizador do projeto da Lei da Ficha Limpa – descreve as práticas de um personagem fictício chamado Cândido Peçanha, um deputado que faz tudo pelo poder.

Alves reclamou em nota no inicio de junho que o livro reforça a ideia de que a política de nada serve para a população.

Flávio Dino denuncia o “helicóptero do mal”

lobinho

Helicóptero do candidato Edinho Lobão: Adversários derramam panfletos apócrifos no interior com mentiras contra Flávio Dino (PCdoB).

Nas redes sociais, o candidato a governador das oposições denunciou o jogo baixo praticado pelos seus adversários políticos, que tem se utilizado helicópteros e panfletos apócrifos para espalhar mentiras contra ele na capital e interior do estado.

Leia:

Nos últimos dias, durante a noite e a madrugada, um helicóptero tem sobrevoado as casas das famílias de São Luís e de outras cidades jogando panfletos mentirosos e difamatórios contra mim.

Uma ação suja, vinda de pessoas de ficha suja.

Tenho dois pedidos a fazer.

O primeiro, não dê ouvidos a baixarias de desesperados.

O segundo pedido: esse helicóptero do mal está cometendo CRIMES.

DENUNCIE ESSES CRIMINOSOS. Compartilhe fotos e vídeos do flagrante de mais esse crime cometido por essa gente, que é capaz de tudo para manter o poder e seus privilégios.”

TV Difusora, de Edinho Lobão, exclui 3 candidatos do debate

Emissora de Edinho tenta excluir partidos pequenos do debate eleitoral.

Emissora de Edinho tenta excluir pequenos partidos do debate entre candidatos a governador.

Os candidatos a governador Saulo Arcangeli (PSTU), Professor Josivaldo (PCB) e Zé Luís Lago (PPL) podem ser vetados no primeiro debate eleitoral da TV Difusora – que pertence ao candidato apoiado pelo grupo Sarney, Edinho Lobão (PMDB).

Um encontro para decidir sobre o debate na emissora foi realizado na manhã de ontem, mas só foram convidados representantes de Edinho, de Flávio Dino (PCdoB) e do nanico Luís Pedrosa (PSOL).

Os assessores dos candidatos não chegaram a um consenso sobre muitos temas, entre eles a exclusão dos outros três candidatos. Uma nova reunião foi marcada para o dia 31 de julho, às 9h.

PSOL e PCdoB defenderam a participação de todos. A única a se posicionar contra a participação dos outros candidatos foi a coligação “Pra frente, Maranhão”.

Será que Edinho tem medo do debate? Por que só a TV Difusora não quer a participação dos outros partidos?

“Boca do inferno” – José Sarney, o poder e os mistérios

Reza a lenda que os tambores de Codó orquestrados por Bita teriam soado durante sete dias antes do falecimento de Tancredo Neves, possibilitando a posse do hoje senador José Sarney na Presidência.

Boca do inferno: Reza a lenda que os tambores de Codó orquestrados por Bita teriam soado durante sete dias antes do falecimento de Tancredo Neves, possibilitando a posse de José Sarney na Presidência da República. 

Muito misticismo e mistério rodam a figura pública de José Sarney, o oligarca mais longevo de todo o Brasil, que conseguiu ficar no poder durante quase 50 anos.

Esses mistérios voltaram a ser lembrados nas redes sociais depois dos últimos acontecimentos no Maranhão. Em artigo, Sarney vaticinou que a oposição liderada por Flávio Dino deveria “caminhar para o inferno” e, vejam só o que aconteceu depois disso:

Nada menos que três candidatos da oposição sofreram acidentes graves nos últimos dias, chegando a deixar graves feridos (com risco de tetraplegia) e uma pessoa faleceu. Os acidentes aconteceram com a deputada Eliziane Gama (sábado), Rubens Pereira Júnior (domingo) e a candidata do PCdoB Fernanda Moraes (segunda-feira).

Casos assim não são de hoje e costumam envolver exatamente aqueles de quem José Sarney possui maior rancor. Basta lembrar alguns fatos mais relevantes da política nacional.

A chegada de Sarney à presidência da República aconteceu após uma súbita crise de diverticulite de Tancredo Neves, presidente eleito para por fim à Ditadura Militar. Com estranhas dores estomacais, Tancredo veio a óbito e então Sarney assumiu a presidência da República.

Boca do inferno: pai-de-santo foi condecorado Comendador da República condecorado por Sarney em 1988.

Guru da família Sarney foi condecorado Comendador da República por Sarney em 1988.

Foi o que aconteceu com o inexplicável acidente do deputado Ulysses Guimarães, cujo corpo foi o único não encontrado após uma queda de seu helicóptero em 1992. Com a saída de Ulysses de cena, Sarney tomou o poder no PMDB.

Com seu poder ferido no Maranhão após o rompimento de José Reinaldo Tavares, Sarney estava com dificuldades políticas no estado. Na eleição de 2006 em que apoiou a eleição de Jackson Lago, José Reinaldo sofreu um grave acidente e seu helicóptero caiu.

Em 2010, foi a vez de Jackson Lago, grande opositor da família Sarney no Maranhão. O ex-governador concorria contra a filha de José Sarney quando também seu helicóptero caiu.

Coincidências ou não, é bom a oposição ficar de olho. Pois o “Boca do inferno” que vive “brincando” com as palavras não brinca em serviço.

No mais, o blog deseja ao Maranhão bem longe de forças ocultas.

Roseana Sarney manda R$ 6 milhões para prefeitura da esposa de Ricardo Murad

 

Em família: mulher de Ricardo Murad recebeu milhões em convênios na véspera das eleições. Filha e genro do secretário de Saúde são candidatos.

Mulher de Ricardo Murad contemplada com milhões em convênios no início da campanha eleitoral. Filha e genro do cunhado de Roseana Sarney são candidatos a deputado estadual.

Os aliados de Ricardo Murad tem razão. O cunhado da governadora Roseana Sarney (PMDB) parece disposto a meter a mão nos cofres do estado para eleger dois deputados estaduais de sua família uma vez: a filha Andréa Murad, e o genro, Sousa Neto.

Comandada pela mulher de Ricardo, Tereza Murad (PMDB), a Prefeitura de Coroatá receberá uma quantia exorbitante para a recuperação de uma estrada vicinal - um grande ralo por onde escoam milhões em recursos públicos.

O contrato assinado pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedes) no dia 3 de julho de 2014 prevê a liberação, por parte do Governo do Estado, de quase R$ 6 milhões de reais para a recuperação das vias.

convenio sedes coroataA Sedes é comandada pelo enrolado Fernando Fialho, que até desistiu de concorrer nas eleições deste ano por medo das investigações do Ministério Público do Maranhão.

Ele é acusado de comandar um grande esquema de liberação convênios com fins meramente eleitoreiros, firmados na véspera do pleito passado com prefeituras e entidades fantasmas ligadas a aliados de Roseana Sarney.

Na semana passada, o blog revelou que outro aliado de Ricardo Murad também recebeu um aporte milionário na véspera do início da campanha eleitoral.

No apagar das luzes, o prefeito Junior Lourenço, de Miranda do Norte, foi contemplado com nada menos que R$ 4,3 milhões em convênios da Secretaria de Saúde do Maranhão.

O curioso é que Miranda do Norte até pouco tempo recebia apenas um pequeno repasse mensal para o custeio de sua quase inexistente rede de saúde.

Ao todo são mais de R$ 10 milhões para dois aliados de Murad, conhecido por nunca cumprir suas promessas de construção de hospitais – muitos deles verdadeiros esqueletos espalhados pelo estado.

A oposição vai denunciar os dois casos por suspeitas de desvio de dinheiro público para comprar as eleições e espera pela fiscalização do Ministério Público Federal e da Polícia Federal.