Edinho Lobão é contra o Bolsa Família e não consegue negar nem na Justiça

Edinho-entrevistaA Justiça Eleitoral declarou na tarde do último domingo (31 de agosto) que Edinho Lobão não conseguiu provar ser a favor do Bolsa Família no Maranhão.

O candidato a governador pelo PMDB se incomodou com o programa de Flávio Dino, que revelou que ele seria contra o programa mais popular do governo Lula. Em entrevista ao jornal O Estado de São Paulo, Edinho Lobão afirmou: “como empresário, sou contra o Bolsa Família”.

O caso foi levado aos programas de rádio e TV desde a última sexta, com a veiculação do trecho do jornal em que o peemedebista fez a tal declaração, que tentou negar à Justiça Eleitoral.

No entendimento da juíza Maria José França Ribeiro, Edinho não poderia agora negar uma declaração publicada no jornal de circulação nacional. A frase foi dita em maio deste ano.

A juíza afirmou que Edinho não apresentou provas de que foi caluniado, como tentou alegar, justamente por não apresentar prova cabal de que a imprensa nacional teria mentido.

“Os Representantes não apresentaram prova cabal de que o candidato Lobão Filho não teria dito: “como empresário, fui contra o ‘Bolsa Família’”, conforme veiculado no jornal O Estado de São Paulo à época”, diz a juíza.

Mesmo sendo declaradamente contra o programa, Edinho tem usado o Bolsa Família para desinformar os eleitores do interior do Maranhão. O Tribunal Superior Eleitoral chegou a condená-lo a execução de multa por usar o programa do Governo Federal como propaganda antecipada negativa.

Emissora de Edinho Lobão em Imperatriz monta um novo “Reis Pacheco”

reis pachecoNa semana em que veiculou a série de programas com uma abordagem negativa sobre o Comunismo (veja), a TV Difusora de Imperatriz, de propriedade do candidato a governador Edinho Lobão (PMDB), também exibiu uma estranha reportagem que parece remontar o fatídico caso Reis Pacheco – farsa armada há 20 anos pelo grupo Sarney para favorecer a vitória de Roseana Sarney (PMDB) sobre o então oposicionista Epitácio Cafeteira (PTB).

Numa clara tentativa de atingir Flávio Dino (PCdoB), o favorito na disputa pelo governo do Maranhão, a reportagem busca responsabilizar “comunistas” por um suspeito ataque a um grupo de religiosos da cidade de Imperatriz.

Convenientemente sem mostrar o rosto, uma das “evangélicas” consultadas pela Difusora diz ter sido coagida por dois indivíduos que se intitulavam de “esquerda política” e buscavam saber se o grupo votaria ou não no candidato a governador apoiado pelo grupo Sarney.

A vítima, no entanto, não mostra provas do ataque. Ainda assim, a produção da emissora fundamenta toda a reportagem ao depoimento dela, não apresentando qualquer outro fato ou testemunha do ocorrido.

“Perguntavam quem votaria no Lobinho e deram quatro tiros (…) Não levaram nada. Os tiros foram somente para aterrorizar”, relata a suposta vítima.

A Difusora Imperatriz também tenta responsabilizar o suposto grupo de comunistas por outro oportuno ataque ao comitê central de Edinho no município.

“O que mais chamou a atenção é que os autores da noite de terror não roubaram nada. Usaram uma das principais características do Comunismo: a coação”, adverte o repórter.

Veja, abaixo, a polêmica reportagem que mais parece uma peça de ficção produzida nos porões da campanha de Edinho Lobão.

“Se a Dilma ganhar, ela vai agradecer ao Sarney, ao Collor e ao Maluf”, diz Marina

Correio do Estado, com edição

marina silvaCandidata do PSB à Presidência da República, a ex-senadora Marina Silva participou na noite do sábado (30) de um encontro com jovens da Rede Sustentabilidade – legenda criada por ela, mas não formalizada – e PSB na Lapa, região central do Rio.

O encontro ocorreu no Teatro Odisseia, uma casa noturna conhecida da região boêmia da capital fluminense. Marina falou por 32 minutos. À vontade com os jovens, a ex-senadora reiterou seu papel de porta-voz dos movimentos de junho de 2013 e fez críticas aos principais adversários na corrida presidencial, Dilma Rousseff, que concorre à reeleição pelo PT, e Aécio Neves (PSDB). No caso de Dilma, Marina destacou uma associação entre ela e nomes desgastados da política brasileira, como José Sarney (PMDB), Fernando Collor (PTB) e Paulo Maluf (PP).

Ela explicava porque seria importante não eleger os rivais: “Se o Aécio ganhar, ele tem tanto tempo de televisão, o partido dele é tão poderoso, que ele vai agradecer ao tempo de televisão, ao marqueteiro e ao partido poderoso. Se a Dilma ganhar, ela vai agradecer aos 11 minutos (de TV), vai agradecer ao Sarney, ao Collor, ao Maluf, à toda essa gente que está hoje junta e misturada.”

E prosseguiu: “se eu e o Beto, se ganharmos, sabe a quem devemos satisfação? Vocês acham que eu vou imaginar que é por causa de dois minutos de televisão? Nós temos é a sociedade brasileira”, concluiu a candidata do PSB.

Em outro trecho de sua manifestação, Marina relembrou as circunstâncias que a levaram a se aproximar de Eduardo Campos (PSB), que era o candidato e morreu tragicamente em um acidente de avião em Santos (SP) no dia 13.

“No dia 4 de outubro, quando foi negado o registro da Rede Sustentabilidade, eu agradeço a Deus e aos meus companheiros da Rede por termos tomado a decisão de em vez de nos omitir diante de tudo que está acontecendo no Brasil, a inflação voltando a crescer, os juros crescendo, o país com crescimento baixo, a recessão ameaçando o seu emprego, a sua vida digna”, disse.

“Em vez de nos omitirmos, irmos para uma anticandidatura, não fazendo jus ao compromisso de quem teve 20 milhões de votos e que naquele momento tinha 26% da intenção de voto… quando foi negado, a decisão tomada foi ir na direção de Eduardo. Se eu não tivesse tomado aquela decisão, agora eu me sentiria envergonhada”, salientou.

Othelino faz campanha em Tutoia, Altamira do Maranhão e Vitorino Freire

 Othelino tem conquistado apoio da população e de lideranças políticas por onde passa.

Othelino tem conquistado apoio da população e de lideranças políticas por onde passa.

O deputado estadual Othelino Neto (PCdoB), que concorre à reeleição na Assembleia Legislativa, cumpriu agenda de campanha esta semana em mais três municípios: Tutoia, Altamira do Maranhão e Vitorino Freire. Participou de mobilizações, caminhadas e comícios ao lado de lideranças que o apoiam e dos candidatos da coligação “Todos pelo Maranhão” ao governo do Estado, Flávio Dino (PCdoB), e ao Senado, Roberto Rocha (PSB).

Em Tutoia, o ex-prefeito Bebeto anunciou adesão às candidaturas de Othelino Neto, Flávio Dino e Roberto Rocha. “A nossa campanha cresce em todo o Maranhão. Mesmo nos municípios onde os políticos permanecem com as candidaturas do atraso, a população já se decidiu pelo caminho da mudança”, disse o deputado, candidato à reeleição.

Neste final de semana, Othelino intensifica campanha nos municípios de Barreirinhas, Presidente Sarney e Pinheiro. Na “princesa” da Baixada Maranhense, o deputado cumpre agenda ao lado do vereador e candidato a deputado federal, Leonardo Sá (PDT) e de diversas lideranças políticas que o apoiam.

Demandas da população

Othelino acompanhou Flávio Dino e ouviu as demandas dos municípios de Altamira do Maranhão, Tutoia e Vitorino Freire. O candidato a governador disse que vai governar para todas as famílias maranhenses, construindo e recuperando estradas; garantindo que as escolas sejam espaços de aprendizado e convivência e colocando os hospitais do Maranhão em funcionamento, com médicos e equipamentos para atender a população.

“Vamos apoiar o pequeno agricultor, governar de modo a garantir direitos. Vamos fazer um governo que seja de fato de todos os maranhenses”, garantiu o candidato a governador da coligação Todos Pelo Maranhão.

Bomba: Polícia Federal revela ‘malas pretas’ para emissário de Roseana Sarney

Estadão

Servidor de confiança da governadora Roseana Sarney pode ter recebido propina na mala preta do doleiro Alberto Yousseff.

Servidor de confiança da governadora Roseana Sarney recebeu mala preta com propina do doleiro Alberto Yousseff. 

Relatório da Polícia Federal, anexado aos autos da Operação Lava Jato, mostra os movimentos do doleiro Alberto Youssef no Hotel Luzeiro, em São Luiz do Maranhão, onde teria sido realizado pagamento de propinas a servidores de confiança do governo Roseana Sarney. O documento, anexado aos autos da Lava Jato, é ilustrado com 19 imagens captadas do circuito de segurança do hotel.

A sequência de cenas gravadas pelo monitoramento do hotel reforça a suspeita da PF sobre pagamento de propinas no escândalo de um precatório de R$ 120 milhões do governo maranhense.

Depoimento da contadora do doleiro, Meire Bonfim da Silva Poza, datado de 7 de agosto, indica que para liberar o pagamento do superprecatório, na frente de outros títulos dessa natureza, assessores de confiança de Roseana teriam cobrado propina de R$ 6 milhões.

O precatório era relativo a serviços de terraplanagem e pavimentação da BR-230. Era o quinto na ordem cronológica, mas de acordo com a contadora, após o pagamento da propina a construtora “furou a fila” e o pagamento foi liberado parceladamente.

As imagens do circuito fechado do Hotel Luzeiro mostram Youssef e Marco Ziegert chegando juntos na madrugada de 17 de março – dia em que o doleiro foi preso.

Eles se hospedaram em andares diferentes, Youssef no 7.º andar e Ziegert, no 13.º.

“Observa-se nas filmagens que Alberto Youssef chega ao estabelecimento portando duas malas pretas idênticas e o sr. Marco Ziegert com uma mala de outra tonalidade, além de uma caixa sob um dos braços”, diz o relatório da PF.

Segundo os investigadores, “por volta de 3h29, o sr. Youssef dirige-se ao 13.º andar com uma de suas malas pretas e retorna para o seu quarto no 7.º andar sem a mesma, dando a entender que deixou a referida mala no quarto do sr. Marco Ziegert”.

Às 10h47, Ziegert saiu do hotel com a “referida mala preta deixada por Alberto Youssef e embarca em um táxi na portaria Hotel Luzeiro, tomando rumo ignorado”.

“Marco Ziegert retornou ao hotel por volta das 15h30 já sem a mala de Alberto Youssef”, assinala o documento da PF. Em seguida, aponta o relatório, Ziegert desce para o térreo e entregou ao recepcionista uma caixa que portava quando entrou pela primeira vez no hotel.

Os federais conversaram com funcionários do hotel e souberam que Marco Ziegert solicitou ao recepcionista que entregasse a mala a Milton Braga Durans , “assessor especial III, símbolo DANS-3 da Casa Civil do Estado do Maranhão nomeado em 1.º de agosto de 2013″.

Após alguns dias, segundo apurou a PF, Durans esteve no hotel e pegou a caixa deixada por Marco Ziegert. Os investigadores suspeitam que na caixa havia R$ 300 mil, parcela da propina que teria sido paga a agentes públicos do governo Roseana Sarney para liberar o precatório de R$ 120 milhões.

Em seu depoimento, a contadora Meire Poza disse que se reuniu com um funcionário do governo do Maranhão, Adarico Negromonte, irmão do deputado Mário Negromonte (PP/BA), para entregar R$ 300 mil que “seriam parte do acordo”. Ela declarou que o assessor lhe disse que teria que consultar a governadora porque o valor “era pouco”.

Quando o depoimento da contadora foi divulgado, na primeira semana de agosto, a assessoria de Roseana emitiu nota de esclarecimento. “A respeito da referência feita em depoimento à Polícia Federal da sra. Meire Poza, sobre a afirmação do senhor Adarico Negromonte, pessoa a quem não conheço, só pode receber de minha parte indignação e repúdio pela maneira desrespeitosa e infame de tal hipótese”, declarou Roseana.

Segundo o texto, trata-se de uma ação de indenização proposta por uma empreiteira contra o Estado julgada procedente pela Justiça do Maranhão em tribunais superiores. “O governo do Estado cumpriu o decidido pela Justiça transitado em julgado de acordo com a lei, sem nenhum favorecimento.”

Segundo o governo, pagar a empresa de forma parcelada permitiu alongar o perfil da dívida do Estado, tratando-se do primeiro precatório da fila fornecida pelo Tribunal de Justiça do Maranhão.

Marco Zeigert e Milton Durans não foram localizados pela reportagem.

VEJA O RELATÓRIO DA POLÍCIA FEDERAL COM AS 19 IMAGENS DO CIRCUITO DE TV DO HOTEL LUZEIRO:


001 002 003 004 005 006 007 008 009 010

Imagem do dia: Ecos da mudança

edsonaraujoflaviojuliao

O deputado estadual Edson Araújo (PSL) declarou, neste domingo, apoio à candidatura de Flávio Dino (PCdoB) para governador do Estado. Antes dele, dezenas prefeitos, vice-prefeitos e vereadores pertencentes ao grupo Sarney também manifestaram o desejo de se integrar ao projeto oposicionista.

Nas próximas semanas, com a proximidade do pleito eleitoral, esse movimento deve se intensificar, com a adesão e oficialização do apoio de mais parlamentares, gestores municipais, candidatos, lideranças políticas e sociais que somarão forças para derrotar a última oligarquia do Brasil.

Comenta-se nos bastidores da política que estão prestes a engrossar as fileiras da coligação “Todos pelo Maranhão” os deputados César Pires (PMDB), Francisca Primo (PT), Rogério Cafeteira (PSC), Stenio Rezende (PRTB), Camilo Figueiredo (DEM), Carlinhos Florêncio (PHS), Davi Alves Junior (PR) e Zé Carlos (PT).

É aguardar e conferir…

TV de Edinho Lobão dissemina terror no sul do estado com série sobre Comunismo

edinho lobao

Desesperado, playboy Lobinho manda disseminar medo contra partido do adversário Flávio Dino, que lidera na preferência do eleitorado com quase 40 pontos de vantagem.

De propriedade do senador Edinho Lobão (PMDB), candidato a governador do Maranhão apoiado pela oligarquia Sarney, a TV Difusora de Imperatriz começou a exibir, na semana passada, uma série de reportagens sobre a história do Comunismo no Brasil e no mundo.

Na tentativa de disseminar o ódio contra o partido de Flávio Dino, o PCdoB, e o terror entre os eleitores da região sul do estado, as reportagens apelam para o sensacionalismo barato, deturpando princípios básicos e a história da doutrina política fundada por Karl Marx.

“Na quarta reportagem da série ‘Comunismo’, vamos falar do sistema adotado nos países governados por esse regime. Falta liberdade de expressão, falta liberdade de escolha. É algo muito perigoso”, alerta, em tom de preocupação, o apresentador da Difusora.

Em tom tendencioso, os programas dissimulam sobre fatos históricos e abusam de cenas de repressão e tortura durante a Ditadura Militar, para induzir o telespectador a acreditar que os filiados aos partidos comunistas são ameaças a regimes democráticos, empenhados em construir governos totalitários e opressores.

“Só através de um sistema democrático pleno e maduro se garante o direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade. Quantas vidas não foram sacrificadas em nome de ideologias políticas, crenças religiosas e filosóficas?”, questiona o narrador da série, que continua a fazer proselitismo anticomunista: “É preciso pensar nas pessoas que povoam a Terra. É preciso pensar na dor desnecessária criada pela opressão e imposição. É preciso pensar naqueles que ainda estão por vir. O homem é herdeiro do próprio homem. Que herança, então, se pretende deixar?”, conclui.

Veja o programa:

Holandinha acusa Roseana Sarney de penalizar São Luís para atingir Flávio Dino

edivaldo-holanda-junior-roseana-sarney

Blog do Garrone

O prefeito Edivaldo (PTC) declarou, na manhã deste sábado (30), que considera reprovável os ataques feitos pela campanha do candidato Edinho Lobão Filho (PMDB) ao tentar desqualificar o trabalho realizado à frente da Prefeitura de São Luís, com o propósito de atingir a campanha do candidato Flávio Dino (PCdoB).

Para o prefeito, o programa da coligação ‘Pra Frente Maranhão’, levado ao ar na noite de sexta-feira (29), revela a desesperada tentativa do grupo Sarney de tentar salvar a candidatura de Edinho Lobão com ataques grosseiros contra prefeitos ligados ao candidato da Oposição, no intuito de tentar reverter o favoritismo de Flávio Dino na disputa pelo Governo do Maranhão.

“Fiquei surpreso com a forma deselegante, desrespeitosa, raivosa e agressiva com o que a campanha do candidato do grupo Sarney passa agora a tentar indispor a nossa administração diante da opinião pública, meramente com o interesse de tentar desgastar a campanha do nosso aliado, Flávio Dino”, afirmou o prefeito.

Edivaldo lamentou ainda o uso político-eleitoreiro da direção do SindEducação. Reiterou que a gestão tem feito esforços no sentido de resolver a movimento organizado pelo sindicato e resguardar o direito à educação de milhares de crianças e adolescentes de São Luís.

“É lamentável que o debate eleitoral tenha perdido o foco de interesse público, que é de apresentar e discutir propostas para o Maranhão, considerando que o eleitorado anseia por soluções para os problemas sociais não resolvidos com este modelo de governo, que prejudica a população de uma cidade como São Luís por questões eleitoreiras, utilizada há décadas em nosso estado”, disse.

A inserção exibida fez uso e manipulação de imagens de arquivo para criticar a gestão do prefeito Edivaldo. No entanto, a coligação, não se debruça sobre respostas que deveriam ser pontuadas no atual debate eleitoral, em relação aos convênios não realizados com a Prefeitura da capital do Estado, nem sobre o repasse de R$ 40 milhões do município ao governo do Estado em 1 ano e 8 meses, tampouco sobre os prejuízos causados pela Caema, por exemplo, em obras realizadas pela prefeitura em vários bairros da cidade.

“Para além do discurso, a população espera propostas e ações concretas que venham somar com o desenvolvimento de nossa São Luís”, afirmou Edivaldo.

Ele acrescentou que está convencido de que o verdadeiro alvo dos ataques contra a Prefeitura de São Luís na verdade é o candidato Flávio Dino.

Por conta desta estratégia de campanha, o Governo do Estado foi levado ao extremo de não celebrar até agora nenhum tipo de convênio com a Prefeitura de São Luís que tem contra si o agravante de ter de repassar todos os meses R$ 2 milhões para os cofres do governo do Estado.

Edivaldo lembrou que por questões políticas, ficou sem resposta também até agora o pedido de audiência à governadora Roseana Sarney protocolado pelo governo municipal na Casa Civil, há 3 meses. Na época, o prefeito decretara situação de emergência em 41 bairros da capital do Estado, em razão de problemas decorrentes das intensas chuvas que atingiam a cidade.

O prefeito relembrou que na primeira tentativa de firmar parceria com o Estado, no início da gestão, o governo Roseana propôs a transferência da gestão do Hospital Municipal Clementino Moura, o Socorrão II, para a Secretaria de Estado da Saúde, mediante repasse da ordem de R$ 77 milhões por parte do governo municipal ao Estado.

Decepcionado com a postura do governo Roseana Sarney, o prefeito Edivaldo lamentou que a proposta de parceria do governo do Estado na área de mobilidade urbana também não se concretizou. “O tratamento dado pelo governo do Estado à Prefeitura de São Luís revela a retaliação política feita contra o povo da capital, que agora fica ainda mais clara e evidente, em razão do fato de o candidato governista não conseguir a preferência do povo da nossa capital”, salientou.

Justiça Eleitoral condena Edinho Lobão a retirar propagandas ofensivas do ar

debateAs propagandas eleitorais produzidas pela coligação “Pra frente, Maranhão”, de Edinho Lobão (PMDB), estão sendo analisados negativamente pela Justiça Eleitoral. Devido aos ataques feitos ao adversário Flávio Dino (PCdoB), a coligação de Edinho vem sofrendo derrotas no Tribunal Regional Eleitoral pelo conteúdo agressivo que apresenta nos programas de TV.

No último final de semana, por exemplo, uma das propagandas de Edinho Lobão que faz referências negativas ao partido ao qual Flávio Dino é filiado foi proibida de ir ao ar. Segundo a juíza Maria José França Ribeiro, “a propaganda dirigida ao partido ao qual é filiado o segundo representante atribui características que, em um primeiro exame, se afiguram antidemocráticas e autoritárias, mostrando-se possivelmente incompatíveis com o processo eleitoral e com o equilíbrio da disputa”.

De acordo com a decisão da juíza, a coligação de Edinho deve se abster de veicular a propaganda e informou também às emissoras de rádio e TV sobre a decisão. A multa diária em caso de descumprimento da decisão é de R$ 50 mil.

Entre sexta-feira e domingo, 4 inserções de rádio e TV da coligação de Edinho Lobão foram consideradas abusivas pela Justiça Eleitoral, que determinou que o PMDB e demais partidos se abstenham de veicular esse tipo de propaganda.

As decisões tiveram caráter “liminar”, isto é, de urgência. No entanto, nos próximos dias a Justiça Eleitoral deverá julgar o provimento de Direitos de Resposta à coligação “Todos pelo Maranhão”, que vem sendo agredida pelas propagandas de Edinho Lobão.

Redes sociais

Também nas redes sociais, a propaganda da campanha de Edinho Lobão tem se destacado negativamente pela agressividade em relação ao oponente. Esta semana, mais uma decisão desfavorável a perfis fakes criados com o intuito de atingir Flávio Dino, primeiro colocado nas pesquisas de intenção de voto.

Desta vez, foi determinado que os perfis “Agora é taca” criados com o intuito exclusivo de agredir a imagem de Flávio Dino sejam tirados do ar pro serem considerados ilícitos. Anteriormente, o próprio site de Edinho Lobão foi condenado a retirar um dos vídeos que faziam referências negativas a Flávio Dino.

Direito de Resposta em rádio

Na última quinta (28), a rádio Difusora AM também foi informada pela Justiça Eleitoral de que deverá veicular nos próximos dias um Direito de Resposta a Flávio Dino. Durante a programação jornalística, um dos locutores atribuiu a Dino ações que ele jamais cometera, segundo a própria Justiça Eleitoral. A rádio pertence ao candidato Edinho Lobão.

As afirmações do jornalista que se referiu ao candidato como “o outro” ou “o demônio” tinham caráter exclusivamente calunioso, conforme diz a decisão proferida pelo juiz Ricardo Macieira. “Trechos do Programa tem caráter notoriamente calunioso, já que nada resta comprovado sobre tais afirmativas, além de também possui viés injurioso, pelas expressões que usa para se referir ao representante”, diz a decisão.

Na semana passada, a rádio Mirante AM também veiculou Direito de Resposta concedido a Flávio Dino através de decisão judicial. A rádio pertence à família Sarney.

Uma imagem vale mais que mil pesquisas eleitorais

edinho em cajariPerdeu, playboy! Imagem do comício fracassado do candidato a governador Edinho Lobão (PMDB), ocorrido na tarde de ontem, em Cajari.