Sarney, o boca do inferno

Por Rodrigo Lago

Jose-Sarney-Madre-SuperioraDe José Sarney aos adversários no domingo passado: “A coligação Boca do Inferno que caminhe para lá”. Uma semana depois, dois deputados da coligação (Eliziane Gama e Rubens Jr.) sofreram gravíssimos acidentes, mas escaparam ilesos da morte.

Deus está no comando, apesar do agouro. Vamos orar pelo senhor que faleceu e pelo que sofreu graves sequelas.

Senador Sarney, com Deus não se brinca.

Caminhada de Edinho reúne menos de 30 em Vargem Grande

10325636_10204626031596399_2033177728903586871_n (1)

A “caminhada” de Edinho Lobão e Gastão Vieira, na principal avenida do município de Vargem Grande, na manhã deste sábado, durou só 30 minutos, juntou pouquíssimas pessoas e terminou com discurso à jato do candidato a governador apoiado pela oligarquia Sarney.

O playboy de Brasília, condenado duas vezes a prisão por crimes e fraudes, vem encontrando dificuldades para mobilizar a população em seus eventos na capital e no interior.

Até agora, a campanha de Edinho Lobão, Arnaldo Melo e Gastão Vieira não conseguiu promover um evento capaz de causar uma boa impressão.

Bira do Pindaré inaugura comitê

convite

Sem monopólio do apoio de Dilma, Edinho Lobão perde cartada decisiva

Com Roseana Sarney no lancamento de candidatura convencao

Tendo Roseana Sarney como âncora, Edinho queria o monopólio de Dilma Rousseff. Justiça entende que Dilma também faz parte da coligação de Dino.

Por Francisco Júnior, Maranhão da Gente

Dada a largada para a corrida eleitoral, as cartas foram jogadas na mesa e o candidato apoiado pela governadora Roseana Sarney, Edinho Lobão, não conseguiu nem mesmo ter o PT de Dilma Rousseff e Lula na chapa majoritária. Ele teve que lançar uma “chapa pura” com outro integrante do PMDB para a disputa.

Sem ter o PT na chapa – que, seguindo orientação da própria direção nacional da legenda, teve de retirar inclusive o nome indicado para ser candidato de Edinho –, o PMDB maranhense também não consegue o monopólio do apoio de Dilma. O partido não obteve na Justiça Eleitoral o aval para que o comitê da militância petista de apoio a Flávio Dino, líder nas pesquisas, fosse destituído.

A assessoria jurídica de Edinho Lobão tenta obter uma conquista na Justiça Eleitoral que fica inviabilizada pela legislação e pela jurisprudência. Como é coligado nacionalmente com o PT, o PCdoB de Flávio Dino pode ter a candidatura em nível local apoiada por petistas, o mesmo direito que tem o PMDB.

Tarefa inglória

Sem o monopólio do apoio de Dilma e dos petistas, Edinho Lobão sabe que a tarefa de dividi-lo com Flávio Dino é inglória. Do ponto de vista ideológico, tanto a presidente Dilma, quanto diversas lideranças nacionais do PT – como o governador do Rio Grande do Sul, Tarso Genro –,  além de integrantes da legenda no Maranhão, têm preferência pela candidatura de Flávio Dino.

Para os estrategistas da campanha de Edinho Lobão, obter por via judicial a garantia do monopólio do apoio de Dilma é fundamental para a candidatura do senador, que não consegue ultrapassar a barreira dos 30% de intenção de votos e ainda enfrenta problemas internos, como a ausência da governadora Roseana Sarney nos atos de campanha.

A dificuldade de obter a exclusividade deste apoio pela via judicial faz que a campanha de Edinho Lobão adote outra tática: a de reforçar por meio de setores da imprensa alinhados com o candidato do PMDB a tese de que Flávio Dino não é aliado de Dilma, e sim de Aécio Neves.

Mas tal argumento também cai por terra quando se registra a presença do DEM no palanque de Edinho Lobão. A legenda, que faz oposição ao PT desde o governo Lula, integra a coligação “Pra Frente Maranhão”, de Edinho.

Obstáculo

Com o apoio de Dilma e do PT dividido entre Flávio Dino e Edinho Lobão, o candidato do PMDB sabe que terá ainda mais dificuldades junto ao eleitorado. E neste momento torna-se fundamental obter essa exclusividade.

O problema é que as duas derrotas no TRE mostram que juridicamente é algo muito difícil. E no terreno político, desde 2010, quando o PT ainda teve espaço na chapa de Roseana Sarney, o partido de Lula e Dilma está dividido no Maranhão. Nem mesmo as imposições vindas da direção nacional da legenda, favoráveis ao PMDB maranhense, afastam boa parte da militância petista do palanque da oposição.

Maragatuno: deputado black bloc tentará reeleição

Blog do Ed Wilson – com título, foto e legendas do Blog Marrapá
Conhecido como Maragatuno, delapidador do patrimônio público no governo Jackson tentará reeleiçao

Conhecido como Maragatuno, delapidador do patrimônio público no governo Jackson tentará a reeleição.

Será lançada oficialmente neste sábado, 26, a campanha de Weverton Rocha (PDT) a deputado federal.

Rocha ficou famoso depois que o ex-governador Jackson Lago (PDT) disse no Maranhão inteiro: “Eis aqui o meu sucessor”

Quando fecharam o caixão de Jackson, o menino prodígio tomou conta do PDT e o seu primeiro ato foi alijar do partido as pessoas mais próximas do ex-governador: a esposa Clay Lago e o filho Igor Lago. Ambos foram buscar abrigo no PPS.

Mas o auge da fama de Weverton ocorreu quando ele era secretário estadual de Esportes e Juventude e mandou demolir o ginásio Costa Rodrigues (foto), um patrimônio dos maranhenses.

O secretário foi denunciado por ter pago antecipadamente R$ 5 milhões a uma empreiteira para reformar o ginásio, que estava em perfeitas condições de funcionamento.

Ato contínuo, ele candidatou-se a deputado federal e a obra nunca foi concluída.

Demolição do ginásio Costa Rodrigues custou R$ 5 milhões.

Demolição do ginásio Costa Rodrigues custou R$ 5 milhões.

A demolição do Costa Rodrigues foi um dos maiores atos de vandalismo já praticado por um político no Maranhão.

O ginásio, durante muitas décadas, foi palco dos Jogos Estudantis Maranhenses (JEMs), deu emprego a muitos profissionais de Educação Física e proporcionava um saudável ambiente de convivência à juventude ludovicense.

Continue lendo…

Cruz Vermelha desviou milhões em doações para filial do Maranhão

REYNALDO TUROLLO JR.
FOLHA DE SÃO PAULO, com edição
R$ 15,8 milhões: Moreira Serra depositava doações nas contas da filial maranhense da Cruz Vermelha, dirigida, na época, pela irmã dele.

R$ 15,8 milhões: Moreira Serra depositava doações nas contas da filial maranhense da Cruz Vermelha, dirigida, na época, pela irmã dele.

A Cruz Vermelha Brasileira desviou dinheiro arrecadado em campanhas humanitárias, afirma auditoria encomendada pela Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha, órgão com sede em Genebra (Suíça).

Segundo a investigação, foram desviadas doações feitas para socorrer vítimas de conflitos na Somália, do tsunami no Japão e das enchentes na região serrana do Rio.

Os valores –R$ 212 mil nas duas primeiras campanhas e R$ 1,6 milhão, na última– foram repassados a uma ONG que pertence à mãe do vice-presidente da Cruz Vermelha à época em que as transferências foram feitas, Anderson Marcelo Choucino.

Outra parcela das doações, R$ 523 mil, foi parar em fundos de aplicação e, depois, teve destino desconhecido.

A auditoria na Cruz Vermelha Brasileira foi feita pela empresa Moore Stephens, consultoria independente com sede em Londres. A atual gestão da Cruz Vermelha diz que enviará as conclusões da auditoria ao Judiciário.

No Brasil, a instituição divide-se em Cruz Vermelha nacional (órgão central) e dezenas de filiais estaduais e municipais.

Pelo estatuto, cada filial tem autonomia gerencial em relação ao órgão central, e este em relação à federação internacional.

Todas as unidades, porém, fazem parte do mesmo guarda-chuva, por compartilharem uma marca internacional.

O Instituto Humanus fica em São Luís (MA) e está registrado em nome de Alzira Quirino da Silva, mãe do ex-vice-presidente do órgão central.

Segundo a auditoria, o Humanus recebeu R$ 15,8 milhões da Cruz Vermelha de 2010 a 2012, sem comprovação de que tenha prestado os serviços correspondentes.

Por falta de documentos nas filiais analisadas –dez, em todo o país–, a auditoria não especificou a origem de todo o montante transferido para o Instituto Humanus.

A maior parte das verbas administradas pelas várias filiais no país advém de contratos com o poder público para gerenciar unidades de saúde.

Em 2012, a Folha revelou que R$ 100 mil recebidos pela filial no Rio Grande do Sul tinham sido transferidos para o Humanus. O dinheiro deveria ter sido empregado em um hospital em Balneário Camboriú (SC). Após a reportagem, foi iniciada a auditoria, concluída em abril.

As transações bancárias de recursos provenientes das doações humanitárias eram feitas com a assinatura eletrônica de Carmen Serra, ex-presidente da filial da Cruz Vermelha no Maranhão.

Carmen é irmã de Walmir Moreira Serra Jr., presidente da Cruz Vermelha nacional durante o período auditado.

Em sua defesa, no âmbito da auditoria, Carmen afirmou que a filial maranhense emprestou suas contas bancárias para a Cruz Vermelha nacional fazer campanhas humanitárias porque o órgão central tem dívidas trabalhistas.

Isso levaria a Justiça a confiscar o dinheiro das doações.

Carmen disse ainda que “desconhecidos” usaram sua senha bancária, porque a filial maranhense nunca contratou o Instituto Humanus.

Em 2012, porém, os sites do Humanus e da Cruz Vermelha-MA tinham o mesmo número de telefone para contato.

Porta voz da oligarquia é condenado a pagar R$ 53 mil por pesquisa irregular

marco-deca1A Justiça Eleitoral condenou o blogueiro Marco Aurélio d’Eça ao pagamento de multa por divulgação de pesquisa eleitoral irregular, sem o prévio registro das informações no Tribunal Regional Eleitoral.

Editor de política do jornal O Estado do Maranhão, d’Eça terá que pagar multa de R$ 53.205,00 por fazer referência, em seu blog, a uma suposta pesquisa interna, forjada em um grupo de WhatsApp de jornalistas do Sistema Mirante/O Imparcial, que mostraria o candidato Edinho Lobão (PMDB) colado no oposicionista Flávio Dino (PCdoB) na disputa para governador do Maranhão.

Esta não é a primeira vez que os veículos de comunicação ligados ao grupo são condenados por divulgação de pesquisas fraudulenta. O jornal O Imparcial, que fechou a porteira em apoio à candidatura de Edinho, e o jornalista Zeca Soares, diretor da Mirante e editor do site G1, da Rede Globo, também foram punidos por tentativas de influenciar os eleitores maranhenses através da divulgação de levantamentos irregulares.

Diferentemente da torcida de jornalistas e blogueiros alinhados ao Palácio dos Leões, o candidato da oligarquia Sarney continua muito distante de ter alguma chance nessas eleições. 

É o que mostrou a última pesquisa do Instituto Exata, devidamente registrada e divulgada pela TV Guará na semana passada, que mostra o ex-presidente da Embratur com 54% na preferência dos maranhenses, contra 25% do playboy de Brasília. 

Veja, abaixo, a condenação de Marco D’Eça: 

Capturar

Roseana Sarney chama Edinho de “moleque” e cobra os R$ 4 bi em emendas

A governadora Roseana Sarney (PMDB) se irritou com o fogo amigo do seu candidato a governador, Edinho Lobão (PMDB), que afirmou, no último sábado, em Sucupira do Norte, que sentia vergonha pelas promessas não cumpridas por ela.

CapturarEm discurso no município, o playboy brasiliense também disse que quando foi presidente da Comissão de Orçamento do Senado enviou R$ 4 bilhões para o Maranhão, dos quais Roseana gastou apenas R$ 780 milhões.

Inconformada com as mentiras do aliado, reveladas em primeira mão pelo blog, a filha do oligarca José Sarney (PMDB) convocou uma reunião às pressas com Edinho, que estava em agenda na cidade de Água Doce, para tirar satisfação sobre os tais “4 bilhões” que ele diz ter enviado para o governo dela.

Fontes bem situadas no Palácio dos Leões informaram que o teor da conversa entre os dois foi nada amistoso. Descontrolada, Roseana teria batido na mesa, xingado Edinho e o chamado de “doido” e “moleque”.

A governadora também exigiu mais respeito do peemedebista e se recusou a participar de outra reunião com prefeitos para cobrar deles mais engajamento na campanha do candidato da oligarquia.

De orelha quente e cabisbaixo por causa do esporro, Edinho Lobão retornou, às 16:30h de ontem, para cumprir agenda em Tutoia.

Reveja, abaixo, o vídeo em que o filho de Edison Lobão ataca a governadora Roseana Sarney:

Construtora denunciada pelo Fantástico arrematou R$ 3,5 mi em convênios com Roseana Sarney

Raimundo Garrone
Recursos são oriundos dos convênios assinados pelas SEDES e SECID com as prefeituras de Anapurus, Mata Roma, Primeira Cruz e Chapadinha

Recursos são oriundos dos convênios assinados pelas SEDES e SECID com as prefeituras de Anapurus, Mata Roma, Primeira Cruz e Chapadinha

A Construtora Santa Margarida Ltda. denunciada pelo Fantástico de participar de esquema com as prefeituras de Mata Roma e Anapurus com recursos federais para obras de abastecimento e saneamento, arrematou nos primeiros meses de 2014 R$ 3.512.881,68 em sete contratos com recursos estaduais.

Esses recursos são oriundos de convênios assinados pelas secretarias de Desenvolvimento Social, e das Cidades e Desenvolvimento Urbano.

Além das duas prefeituras citadas pela Globo, a Santa Margarida possui contratos com os municípios de Chapadinha e Primeira Cruz.

Embora funcione em uma casa porta e janela em Anapurus o leque de atividades da Santa Margarida é enorme.

Além das “obras” mostradas pelo Fantástico, a empresa também recupera estrada vicinal, constrói unidade de saúde e faz limpeza urbana.

O mais interessante ainda é que esses convênios foram assinados em sua grande maioria pela SEDES, secretaria denunciada pelos deputados de oposição de pagar por estrada em povoado que não existe na Raposa.

A denúncia dormita do Ministério Público e reforça a ideia de impunidade quando se trata de recursos estaduais.

Em 2010 Roseana distribuiu quase R$ 1 bilhão em convênios, e segundo denúncia do ex-governador José Reinaldo Tavares, grande parte das obras não saiu do papel.

O então procurador geral da república, Roberto Gurgel, deu em 30 de julho de 2013 parecer favorável pela cassação de Roseana por abuso de poder econômico por assinar  esses convênios, que foram considerados eleitoreiros.

Câmara Federal aprovou mais de 200 propostas nos últimos 18 meses

waldirmaranhaoO deputado federal Waldir Maranhão destacou o trabalho do Plenário da Câmara dos Deputados que aprovou mais de 200 propostas nos últimos 18 meses. Para Waldir Maranhão o desempenho de votações poderia ter sido melhor, caso os colegas parlamentares não tivessem obstruído pautas propositadamente.

“Este é um ano de eleições e as disputas políticas tomam palanque no Congresso, isso não pode acontecer. Um dos deveres do deputado federal é votar as propostas de Lei quando ficam prontas e vão ao Plenário”, ressaltou Waldir Maranhão. O levantamento foi feito pela Mesa Diretora da Casa que contabilizou propostas de emenda à Constituição, projetos de lei complementar, medidas provisórias, projetos de lei, requerimentos e decretos legislativos.

Na opinião de Waldir Maranhão o maior avanço da Câmara dos deputados foi a aprovação do Plano Nacional de Educação que destinará até 2020, 10% do Produto Interno Bruto, o PIB para a educação. “Sempre lutei pela educação e o investimento é um dos caminhos para que todos tenham acesso ao ensino público de qualidade, e isto nós conseguimos garantir e em breve triplicaremos as vagas no ensino profissionalizante, garantiremos vagas para todas as crianças de 4 e 5 anos e acabaremos de vez com a praga do analfabetismo com ensino público e gratuito” afirmou Waldir Maranhão.

Para o deputado federal maranhense outro destaque nas votações do Plenário foi a aprovação do Marco Civil da Internet que prevê a neutralidade da rede, garantindo ao usuário o tráfego de dados com a mesma qualidade e velocidade, sem discriminação. “Esta Lei garante a segurança de informações pessoais e registros de acesso dos usuários, um avanço neste mundo virtual tão recente”, afirmou Waldir Maranhão que enfatizou que os dados dos internautas só poderão ser comercializados com a sua autorização.

Waldir Maranhão também elencou, entre os mais de 200, projetos de grande importância, fruto do trabalho dos deputados federais, entre eles a cota para negros em concursos públicos que determina que 20% das vagas da administração federal sejam para candidatos negros nos próximos 10 anos; cadeia maior para quem pratica rachas quando causar a morte de alguém, que será de cinco a dez anos de prisão; o endurecimento contra motoristas alcoolizados ou drogados que causarem acidentes; a aposentadoria especial para deficientes que passam a ter direito a se aposentar com menos tempo de contribuição; a que classifica como crime hediondo favorecimento ou exploração sexual de criança ou adolescente ou de vulnerável; a criação de um sistema nacional de prevenção e combate à tortura; a autonomia das defensorias públicas e as aplicações dos royalties do petróleo em educação, ações ambientais, energia, pavimentação de rodovias, abastecimento e tratamento de água, irrigação e saneamento básico.