Vídeo do dia: Jornalista explica por que demitiu Sarney do Jornal do Brasil

Repercutiu nas redes sociais o trecho da entrevista com governador eleito Flávio Dino (PCdoB), em que o respeitado jornalista Alberto Dines, âncora do programa Observatório da Imprensa, explica por que demitiu, na década de 60, o então repórter José Sarney (PMDB) da correspondência do Jornal do Brasil.

Veja:

 

Olga Simão persegue e proíbe homenagem a ex-secretário de Cultura do governo José Reinaldo

1759382020-734573422noticia

Olga Simão recebe título das mãos dos aliados Arnaldo Melo, Roberto Costa, Grazy Lagosta e da futura secretária “cavalo de Tróia”.

A secretária de Cultura Olga Simão resolveu intervir nas homenagens dos 40 anos da Escola de Música do Maranhão e proibiu a homenagem que seria feita ao maestro Francisco Padilha, ex-secretário de cultura e um dos professores mais graduados e queridos da escola.

O motivo seria a sua proximidade com o ex-governador José Reinaldo Tavares, considerado inimigo número um da governadora Roseana Sarney.

Segundo fontes da Escola de Música, que não quiserem se revelar com medo de represália, o maestro já tinha sido convidado para receber a homenagem, mas depois foi chamado às pressas para ser comunicado do “desconvite” por ordem da secretária.

- Se a governadora quase quebrou tudo no Palácio, quando o irmão Zequinha Sarney reuniu a bancada no Congresso com o governador eleito Flávio Dino, imagine como ela ficaria com uma homenagem em seu governo a um ex-secretário do governo José Reinaldo? – questionaram as fontes.

“Me restou a sarjeta”, diz CQC demitido após arruaça em Caxias

oscardilholeocoutinho

Visivelmente alcoolizado, CQC agrediu e xingou prefeito de Caxias, Léo Coutinho.

Depois de promover arruaças e sair foragido da cidade de Caxias (relembre), o teatrólogo Oscar Filho falou pela primeira vez sobre sua saída do “CQC”, da Band. Assim como Marcelo Tas, que deixará o programa, o repórter não estará na atração no próximo ano. Por meio de seu blog, ele contou que foi demitido e que não tem proposta de nenhuma emissora e nenhum projeto em mente.

“Não tenho nada em vista. Nenhum projeto, nenhum convite, nenhuma emissora interessada. Só me restou a sarjeta. Já pensei sobre isso e tive uma importante decisão: rasparei a cabeça, chamarei um ex-aluno meu, comprarei um trailer, fabricarei metanfetamina com 96% de pureza, exterminarei o cartel e morrerei rindo”, escreveu Oscar Filho, fazendo referência às drogas e à série “Breaking Bad”.

Ele conta ainda que ficou sabendo de sua demissão através da internet. “Sexta-feira passada eu, oficialmente, fui mandado embora. Me deram um pezão na bunda, me chamaram pra assinar um negocinho lá no RH da Band… Há quem possa ter motivos para sentir vergonha disso. Eu poderia ter me antecipado e ter dito que fui eu que pedi pra sair, mas não”, contou.

Com informações do UOL.

Em programa da TV Brasil, Flávio Dino critica uso político dos veículos de comunicação

flavio dino tv brasilDurante entrevista ao programa Observatório da Imprensa – TV Brasil nesta terça-feira (25), o governador eleito do Maranhão, Flávio Dino, falou sobre as ações que deve adotar a partir de 1º de janeiro para democratizar a comunicação no estado. Entre os pontos abordados, o reforço à formação da rede pública, o incentivo às rádios comunitárias e a ampliação do acesso à banda larga nas cidades maranhenses.

“Vamos estabelecer padrões, desenvolver uma boa rede pública, envolvendo não só estatal, mas rádios comunitárias também. E a internet, que está ao alcance de todos. Precisamos facilitar o acesso ao cidadão à banda larga, pois ela cria um contraste, um novo espaço público”, avaliou Flávio Dino.

A universalização da internet é uma das metas de governo de Flávio Dino. Além disso, durante a campanha, ele destacou também o apoio às rádios comunitárias, jornais regionais e blogs noticiosos como forma de garantir a universalização do direito à comunicação no Maranhão. No Observatório da Imprensa, ele reforçou o discurso e criticou a concessão de veículos midiáticos para fins políticos.

Flávio Dino relembrou que durante o período em que José Sarney foi presidente da República muitas outorgas foram concedidas, caracterizando o início do coronelismo midiático. “A saída é cumprir a Constituição. Político, mandatário, deputado, senador, não podem ser donos de rádio e TV”, afirmou, enquanto avaliou o enfrentamento às redes de TV do Maranhão durante o período eleitoral. “Utilizamos a internet, apesar da exclusão digital no Maranhão ser a maior do Brasil, e o horário gratuito, por isso as alianças políticas foram essenciais para nos dar tempo para resistir às barbaridades”, completou Dino.

Ministério da Pesca é suspeito de fraudar licenças no Maranhão

Exame

Um mês antes do início da campanha eleitoral, o Ministério da Pesca alterou norma interna e permitiu que carteiras de pescador, antes confeccionadas pela Casa da Moeda, fossem emitidas em papel comum. A medida permitiu que, desde junho, as próprias superintendências da pasta nos Estados, a maioria controlada pelo PRB, confeccionassem os documentos, que dão direito a salário durante os cinco meses do defeso e outros benefícios.

Irmãos Verde, na foto com o ministro da Pesca, estariam a frente de esquema no Maranhão.

Irmãos Verde, na foto com o ministro da Pesca, estariam à frente de esquema no Maranhão.

As carteiras impressas em papel moeda tinham uma marca d’água para evitar fraudes – uma proteção que as confeccionadas em papel comum não dispõem. O PRB, ligado à Igreja Universal, comanda a pasta desde março de 2012, quando o senador Marcelo Crivella (RJ) foi nomeado ministro. Ele deixou o cargo para disputar o governo do Rio. O ministério é chefiado hoje pelo pastor Eduardo Lopes, também do PRB e suplente de Crivella. A sigla trabalha para manter a pasta no próximo mandato de Dilma Rousseff. Das 27 superintendências, 17 estão sob a chefia de filiados e dirigentes do partido.

No Acre, a Polícia Federal e o Ministério Público investigam denúncia de que houve um derrame de carteiras no período eleitoral para pessoas que não praticam a atividade pesqueira. A distribuição teria beneficiado Juliana Rodrigues de Oliveira e Alan Rick, respectivamente eleitos deputados estadual e federal pelo PRB. Até março, doutora Juliana, como é conhecida, foi superintendente estadual do ministério. Ela já havia, sem sucesso, disputado uma eleição, antes de ocupar o cargo.

A Polícia Federal já tomou depoimento de eleitores que receberam as carteiras cinco dias antes das eleições – parte deles assentados da reforma agrária. Eles disseram ter vendido o voto em troca do benefício. A investigação está sob sigilo. O registro do pescador é como um “cheque pré-datado”. O seguro-defeso, que garante salário no período em que a pesca é proibida, só pode ser recebido um ano após a emissão da carteira. Há exigências como comprovação por meio de relatório da atividade pesqueira. O documento dá direito a linhas de crédito bancário e aposentadoria especial.

Dados do ministério mostram que, no Acre e no Maranhão, o número de carteiras emitidas no período eleitoral supera o dos demais meses. De agosto a outubro, foram confeccionadas 30.177 carteiras no Maranhão, mais que as 22.581 dos sete meses anteriores do ano.

A Polícia Federal tem 14 inquéritos abertos no Estado para apurar irregularidades no pagamento do seguro-defeso ou na distribuição de carteiras. O Ministério Público informou que tramita um recurso no Tribunal Regional Eleitoral relacionado à distribuição das carteiras, também sob sigilo. O número de pescadores artesanais registrados no País hoje é de 1.005.888. Dados do Ministério do Trabalho mostram que, de abril a setembro, o número de requerentes do seguro da pesca chegou a 281 mil – foram 198 mil no mesmo período de 2013. A pasta não informou quais Estados tiveram maior crescimento.

Othelino critica artigo de Sarney e diz que governo Roseana persegue Prefeitura de São Luís

othelino-neto1O deputado estadual Othelino Neto (PCdoB) criticou, em pronunciamento nesta terça-feira (25), artigo do senador José Sarney, intitulado “Sua Excelência, o Buraco”, que foi republicado na edição do último domingo (23) do jornal O Estado do Maranhão, onde ele afirma que “a cidade parece estar em guerra”. O parlamentar disse que as dificuldades encontradas pela Prefeitura de São Luís foram, em grande parte, agravadas pela perseguição do governo Roseana Sarney contra a atual administração e lembrou que o grande conflito vivido hoje, na capital, fica por conta da crescente criminalidade.

Othelino destacou trecho do artigo, onde  Sarney diz que, “ao chegar a São Luís, parece que a cidade está em guerra”. Segundo o deputado, de fato, a capital parece estar em guerra, assim como todo o Maranhão, nem tanto pelos buracos, mas por conta dos índices de violência que, infelizmente, assustam a população da Grande Ilha. “É triste ver a nossa ilha tão bonita, de um povo tão pacato, sendo destaque como uma das capitais mais violentas do mundo”, lamentou.

Segundo o deputado, somente este ano foram 999 homicídios na Ilha de São Luís que, neste último fim de semana, bateu o recorde de assassinatos. Só nos dias 22 e 23, sábado e domingo passados, foram 19 assassinatos. “Nem a Polícia Militar os bandidos estão mais temendo. Mataram, covardemente, dois policiais militares que estavam fora de serviço e aí o senador Sarney fala de guerra. A guerra é essa. As pessoas estão assombradas por não poder sair de casa. Por achar que vão sair sem ter a certeza de que vão voltar vivas”, comentou.

Responsabilidade do governo

O deputado responsabilizou o governo Roseana Sarney pela crescente criminalidade e disse que é muito triste ver famílias sendo dilaceradas, assassinadas por conta da falta de segurança, da irresponsabilidade do governo que não cuida do sistema. “Se é para falar em guerra, vamos falar dos indicadores sociais do Maranhão. Se tem alguém que é culpado pelo estado assustador de miséria é o grupo comandado pelo senador. Antes de ficar apontando para os outros, é bom olhar para o próprio umbigo”, disse.

Othelino afirmou, na tribuna, que não se pode comparar menos de dois anos de administração do prefeito Edivaldo Holanda Jr com quase 50 anos de domínio do grupo Sarney. Segundo o deputado, enquanto a sociedade assiste estarrecida ao aumento dos índices de violência, a governadora fala em conchavos políticos e em renunciar, ao invés de procurar cuidar do resto do seu governo.

Durante o pronunciamento, o parlamentar lembrou que o Estado parece estar, há anos, sem a governadora, que deveria tratar com respeito o povo e, minimamente, cuidar dos interesses do Maranhão. “Mas, graças a Deus, esse tempo de trevas está terminando por vontade da população que agora vai voltar a saber o que é ser bem governada”, disse.

Região metropolitana de São Luís tem melhor acesso à educação

Valor Econômico

UEB Salomo Fiquene - 1SÃO PAULO  –  A região metropolitana de São Luís (MA) oferece o melhor acesso à educação, de acordo com dados do Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM), composto por três variáveis: longevidade, educação e renda. O indicador varia de zero a um. Assim, quanto mais próximo de um, maior o desenvolvimento. Os números foram calculados com base no Censo Demográfico de 2010, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A taxa de São Luís foi de 0,737. Em seguida, ficaram a região metropolitana de São Paulo (0,723), Distrito Federal e Curitiba, ambas com o índice de 0,701. Os piores resultados foram registrados em Manaus (0,636), Porto Alegre (0,649) e Belém (0,656).

Os valores relativos à educação foram calculados com base na escolaridade da população adulta e também no fluxo de jovens matriculados nas escolas. Os dados não se referem à qualidade educacional.

Imagem do dia: Governador eleito anuncia novos nomes de sua equipe de governo

O comunista Flávio Dino (PCdoB) anunciou nesta segunda-feira (24) novos nomes de auxiliares para compor a sua equipe de governo, oficializando a turismóloga Delma Andrade para a Secretaria de Turismo, Tatiana Pereira para o comando da pasta da Juventude e o ex-governador José Reinaldo Tavares para a Secretaria de Minas e Energia.  O advogado Paulo Guilherme Araújo assumirá a Comissão Central de Licitação, o empresário Sérgio Sombra será o presidente da Junta Comercial do Estado do Maranhão (Jucema) e enfermeira Karla Trindade será chefe da Assessoria Especial do governador.

O comunista Flávio Dino (PCdoB) anunciou nesta segunda-feira (24) os novos nomes da sua equipe de governo, oficializando a turismóloga Delma Andrade para a Secretaria de Turismo e a estudante Tatiana Pereira para o comando da pasta da Juventude.

De uma navalhada só, o próximo governador também anunciou a indicação do deputado federal eleito, José Reinaldo Tavares (PSB), para a Secretaria de Minas e Energia. No lugar dele, assumirá a suplente Luana Alves (PSB), esposa do polêmico e desgastado prefeito de Santa Inês, Ribamar Pezão (PSB).

O advogado Paulo Guilherme Araújo assumirá a Comissão Central de Licitação, o empresário Sérgio Sombra será o presidente da Junta Comercial do Estado do Maranhão e a enfermeira Karla Trindade será chefe da Assessoria Especial.

Nelsinho assume mandato na Câmara e se compromete com a cultura de São Luís

Blog do Clô

nelsinhoEm evento muito prestigiado, Nelsinho Brito (PT) assumiu por quatro meses o mandato na Câmara Municipal de São Luís. O professor, que estava no cargo de assessor especial da Fundação Municipal de cultura agradeceu a várias pessoas importantes na sua campanha e se comprometeu com projetos para a cultura da cidade. Ele assume no lugar de Honorato Fernandes (PT), que se licenciou para realizar uma cirurgia.

“Apesar de ficar somente alguns meses é extremamente valioso. Ainda que fosse por um dia, estar neste espaço é muito valioso. Estou muito satisfeito. Sou um representante da cultura popular, da classe trabalhadora e quero justificar cada voto que me colocou aqui”, afirmou o vereador.

Nelsinho garantiu que apesar do curto prazo no mandato, desenvolverá uma agenda de propostas para a cultura da cidade e a preservação do meio ambiente. “Eu sou da base do prefeito Edivaldo e quero fazer uma agenda propositiva. Não dá pra inventar a roda neste período. Mas vou ajudar o trabalho do prefeito e fazer uma agenda positiva em nome da cultura popular e do meio ambiente. O tempo é curto, mas colocaremos em pauta esta agenda”, afirmou.

Estiveram presentes na posse os futuros secretários estaduais Bira do Pindaré (Ciência e Tecnologia) e Márcio Jardim (Esportes).

Lava Jato: Homem que pagou propina a Roseana Sarney se entrega à Polícia Federal

14328101

Negromonte teria entregue R$ 300 mil à governadora Roseana Sarney para facilitar o pagamento de precatórios da Constran.

Último foragido da Polícia Federal (PF) na sétima fase da Operação Lava-Jato, Adarico Negromonte Filho se entregou à Polícia Federal (PF) em Curitiba por volta das 11h15 desta segunda-feira.

Suspeito de ser um dos “portadores” do doleiro Alberto Youssef, Negromonte é um dos 25 investigados pela operação e estava foragido desde o último dia 14, quando sua prisão foi determinada.

De acordo com as investigações, o irmão do ministro das Cidades, Mário Negromonte, levava dinheiro do escritório do doleiro em São Paulo até os agentes públicos e partidos políticos supostamente envolvidos em esquema de cartel, corrupção e superfaturamento na Petrobras.

Em depoimento à Polícia Federal, a contadora Meire Poza revelou que Adarico pagou R$ 300 mil à governadora Roseana Sarney, referentes a uma das parcelas dos R$ 6 milhões em propina negociados com membros do alto escalão do governo do Maranhão para a antecipação do precatório de R$ 120 milhões que beneficiava Yousseff e o empreiteiro Ricardo Pessoa – presidente da UTC/Constran.

O investigado chegou de táxi à Polícia Federal, acompanhado pela advogada que o representa, Joyce Rosen. Os dois entraram no prédio da Superintendência da PF sem dar entrevista.

Com informações do Valor Econômico